Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Um Porto LBV em dia de derby

por Miguel Pires, em 26.04.15

IMG_5908.JPG
Nessa ânsia de querermos sempre beber e exibir troféus esquecemo-nos de como o LBV é provavelmente o porto com melhor relação preço qualidade. Como prova do meu desportivismo (de que espero não me arrepender), em dia de Benfica x Porto, abro este Graham's LBV 2009, recentemente lançado no mercado, e delicio-me com o chocolate preto que a Equador fez para a marca.

 

Diz o contra rótulo que este porto "expressa os aromas únicos das cinco Quintas da Graham's neste ano excepcional". Embora a malta que escreve estas coisas exagere sempre um pouquinho, tendo em concordar que "este elegante e encorpado vinho do Porto está agora pronto para ser apreciado". Vai bem com chocolate preto e queijos fortes. Os primeiros já marcharam, os segundos ficam para depois do jogo. Agora vai Gaitán, Jonas, Sálvio ou até mesmo tu Brutus, perdão, Júlio César. Dêem-me motivos e alegria para continuar a apreciar este vinho. Caso contrário terei de o beber para esquecer.

 

Diz o ditado mais irritante que conheço, que o futebol são 11 contra 11 e no final ganha a Alemanha. Hum... Cheira-me que neste caso é a Graham's que vai ganhar. Até porque eles torcem pelo Gaia, certo? ;)

 

P.S. para os puristas que consideram que um "derby" é um jogo entre rivais substituam a palavra do título deste post por "clássico". Para mim, um jogo entre dois clubes que são (quase) sempre os principais candidatos ao título será sempre um derby - ainda para mais sendo um clube representante do Norte e outro do Sul. A propósito quem quiser saber mais sobre o termo derby, leia aqui. Eu vou ali saborear mais um gole (já que golos não houve nenhum), venho já.

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:42

Pub Grátis (Go freestyle!)

por Miguel Pires, em 21.04.15

 Até dá vontade de barrar o ecrã... 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:44

José Mariano Gago

por Paulina Mata, em 19.04.15

forum02.jpgJosé Mariano Gago faleceu ontem. Tive a sorte de o conhecer. Ontem li algumas das palavras que foram usadas para o descrever "inspirador, sonhador, energético, líder, alguém que teve uma visão para a ciência e a cultura científica do país e, mais do que isso, a pôs em prática". Era isto e muito mais. Hoje acordei a pensar em algumas situações em que estive com ele e em como a minha vida, e a de muitos outros, teria sido diferente sem os seus sonhos concretizados.

Colaborei muito com a Ciência Viva (um dos seus sonhos concretizados que muito acarinhava), foi lá que comecei a fazer as actividades "A Cozinha é um Laboratório" em 2001. Numa dessas actividades ele até vestiu o avental! (foto do início do post)

Estas actividades foram uma semente que germinou dando origem a uma variedade de acções de divulgação de ciência que chegaram a muita gente, à participação no ABCiênca na RTP, ao livro “A Cozinha é um Laboratório”, mas mais do que isso, permitiram estabelecer laços com profissionais de cozinha, de forma informal e com o projecto C ao Cubo,  De certa forma foram estas actividades também a origem do mestrado em Ciência Gastronómicas.

Vou partilhar duas situações que recordei hoje. Em 2004 organizámos (Slow Food e a Ciência Viva)  uma série de debates, denominados Conversas Saborosas, no Pavilhão  do Conhecimento. Lembro-me do José Mariano Gago ter ido ao primeiro e no fim ter comentado que falávamos de gastronomia e movimentos gastronómicos de uma forma nova para ele, quase como se fossem movimentos artísticos.

Em 2007 foi organizada a série de debates  Uma questão de Sexo(s) no Pavilhão do Conhecimento, alguns sobre a menor facilidade de acesso de homens ou mulheres a determinadas profissões. Num discutiu-se a situação nas cozinhas e participaram o Fausto Airoldi e a Nini. O José Mariano Gago assistiu muito interessado, fez muitas perguntas, e no final estabeleceu uma comparação entre as carreiras de cientistas e cozinheiros, em particular a importância da internacionalização e do contacto com o trabalho feito noutros países. Concluiu dizendo que ambas as classes profissionais eram privilegiadas por viver tudo isto e tinham o dever de dar algo em troca à sociedade.

Obrigada José Mariano Gago pela forma como sonhou e com isso nos permitiu concretizar sonhos! Nunca esquecerei uma frase que o ouvi dizer no 1º Forum Ciência Viva em 1997 e que tem norteado o meu trabalho e, num contexto mais geral na minha vida: "Experimentar é confrontar o pensamento com a realidade... não basta apenas assistir aos resultados espectaculares de uma ciência, mas acima de tudo apreendê-la, pensá-la e relacioná-la com o real.

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:19

MAD não se realiza em 2015. Grrrrr...

por Miguel Pires, em 15.04.15

Captura de ecrã 2015-04-15, às 16.06.53.png

A informação tardava em chegar e quando o email finalmente aterrou nas caixas de email esta noite não deixou de constituir uma surpresa (e uma desilusão): aquele que é para muitos actualmente o encontro gastronómico mais interessante do mundo não se vai realizar este ano, mas sim apenas em 2016.

 

O título vem em tons suaves: "MAD is changing" (o MAD está a mudar), mas a comunicação sobre as mudanças não disfarçam o céu cinzento. "Vamos trabalhar para expandir o conhecimento amealhado durante os simpósios para fazer de cada refeição uma refeição melhor", referem os responsáveis do evento no comunicado. E a razão apontada para o regresso apenas em 2016 prende-se com a vontade de fazer um simpósio "ainda mais impactante", afirmam ainda. A mim parece-me que a principal razão se prende com o facto do regresso recente da equipa do Noma (que está por detrás do MAD) a Copenhaga, depois de uma estadia prolongada no Japão, lhes deixou pouco tempo para organizarem o evento nas condições ideias. Mas adiante. 

 

Como (ínfima) consolação os organizadores anunciam a remodelação do site com melhorias significativas na disponibilidade e na qualidade dos vídeos realizados nas edições passadas. Portanto, resta-nos esperar por 2016 e ir recordando alguns dos melhores momentos dos encontros anteriores. I'm mad :/

 

Posts Relacionados: 

MAD Symposium em Copenhaga

 

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:40

Quique Dacosta no Peixe em Lisboa 2015.JPG

 

Domingo à tarde o auditório do Peixe em Lisboa encheu-se (finalmente) para a apresentação de Quique Dacosta. O chef do restaurante (3*** Michelin) que leva o seu nome, em Denia (próximo de Valência), mostrou como se faz uma apresentação de grande nível sem grandes truques. A experiência, o à vontade e o talento nato de comunicador, aliados a uma apresentação bem montada, com sequências em vídeo com pratos confeccionados no momento pelo seu braço direito "e esquerdo" (como referiu) Juanfra Valiente - e uma das suas chefs de partida, Carolina - conquistaram a assistência que no final não poupou nos aplausos. 

 

O outro atractivo da vinda de Dacosta a Lisboa é o jantar "a 4 mãos" que hoje realiza no Belcanto, com José Avillez. Como descreve o chef portufuês, "Quique Dacosta é um dos grandes génios da cozinha espanhola e um dos grandes nomes da cozinha internacional. A sua cozinha tem uma marca distinta: cruza a tradição, a variedade e a qualidade dos produtos de Alicante e de Valência com um espírito inovador e artístico. É uma honra e um privilégio recebê-lo no Belcanto, no âmbito da 8ª edição do Peixe em Lisboa, para um jantar a 4 mãos, único e especial. “

 

De facto trata-se de uma oportunidade única para quem se apressou a reservar (esgotou de imediato) e um momento que certamente terá repercurssões nas redes sociais (cá e lá fora) - tal com tem acontecido com o Sangue na Guelra, esse evento muito especial do Paulo Barata e da Ana Músico, cujo simpósio e os 2 jantares se realizaram nestes dias são já um case study internacional. Sobre o óptimo jantar de ontem do Sangue da Guelra, em que estive presente, falarei mais à frente. Para já e para abrir o apetite, deixo o menu de hoje à noite, composto por 23 propostas (12 de Quique e 11 de Avillez):

 

Menu " a 4 mãos" -  José Avillez e Quique Dacosta

 

Caipirinha – José Avillez

Pétalas de rosa – Gin tónico de maçã – Quique Dacosta

“Tremoço” com lima kaffir e piripiri – José Avillez

Folhas secas e raízes – Quique Dacosta

Pedras de parmesão – Quique Dacosta

"Frango assado" com creme de abacate e requeijão, piripiri e limão – José Avillez

Ferrero rocher – José Avillez

Raim del pastor – Quique Dacosta

Cordifiore – Quique Dacosta

“Cornetto” temaki de tártaro de atum com soja picante – José Avillez

Mochi de torta del casar y trufa – Quique Dacosta

Papas de milho, enguia fumada, tutano e folhas de capuchinhas – José Avillez

Satay de caranguejo – Quique Dacosta

Lagostins salteados com tutano, tendão de vitela e espargos brancos – José Avillez

Ostra frita – Quique Dacosta

Cozido à Portuguesa – José Avillez

Gamba fervida – Quique Dacosta

Pataniscas de bacalhau com guisado de sames – José Avillez

Arroz de enguia e beterraba – Quique Dacosta

Rabo de boi com favinhas, foie gras e toucinho – José Avillez 

Ovo em cinzas – Quique Dacosta

Tangerina – José Avillez

Canela e ameixas – Quique Dacosta 

 

IMG_2562.JPG

"Óstia tío, que haces?! non, en Belcanto te quedas solamente en la sala"

 

Num dos próximos dias contarei como foi. Ah! e não se preocupem os presentes. Não entrarei na cozinha. Hum... será? 

 

Quanto ao Peixe em Lisboa hoje é a vez de Joan Roca se apresentar no auditório principal e logo em sessão dupla: Cozinha ao vivo (18.30h) + filme El Somi (21h) seguido de conversa com o próprio e outros convidados. 

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:24

Paulo Barata Instagram3

Eles já andam por aí. De ano para ano a família vai crescendo e culto do Sangue na Guelra propaga-se. Está tudo (quase) a postos para os jantares de domingo e segunda-feira - com lotação esgotada há muito, mas por enquanto é altura de visitar amigos e compinchas: o Feitoria de João Rodrigues (que participou na primeira edição SG) e a inevitável Taberna da Rua das Flores do Mestre André (Magalhães - na foto de cima).

Paulo Barata Instagram4

O mexicano Oswaldo Oliva, ex braço direito de Andoni Aduriz no Mugaritz a (a)provar um prego num restaurante de Lisboa (na verdade é um bitoque, mas tudo bem). Domingo é a vez dele virar o bico ao prego. 

Paulo Barata Instagram2

Outro ex-Mugaritz, ex-Viajante, leiriense e londrino. Enquanto o restaurante na capital inglesa não chega vai frequentando o dos outros. Leandro Carreira, graças ao Sangue na Guelra (e eventos paralelos) já passa mais tempo em Portugal do que o nosso ministro dos negócios estrangeiros.  

Paulo Barata Instagram

"Então é assim: queimas a couve durante 3 dias e deixas a fermentar debaixo de um balde de aparas de madeira de carvalho do pinhal de Leiria. Só destapas quando estiver cheio de formigas. Cagas nas formigas (ou envia-las para o Noma) e trituras a couve fermentada junto com o que tiveres à mão. Depois barras em pão de cerveja - se não a tiveres bebido antes - e já está". Não deve ter sido bem este o discurso de Leandro, ilustrado nesta foto, mas é o espirito da coisa que interessa ;). Isso e que a cavala seja linda...

Paulo Barata Instagram1.jpg

 

Mas hoje à tarde, no Peixe em Lisboa, o bando - junto com produtores e outros nossos conhecidos - vão estar em simpósio e esperamos que o auditório instalado no Terreiro do Paço se encha para os ver. É já daqui a pouco...

 

14h30 – 17h30 Apresentações

 

.Graça Saraiva– Ervas Finas, Vila Real. Um jardim de flores e ervas finas único num parque protegido de Portugal.

.Ann Kenny e Jean Paul Brigand – Lugar do Olhar Feliz, Alentejo. O maior pomar de citrinos da Europa.

.Chef Vincent Farges – Fortaleza do Guincho, 1* Michelin. Um especialista em citrinos.

. Avelino Ormonde – Produtor de vegetais autóctones da Ilha Terceira, Açores

. Chef Leonardo Pereira – Areias do Seixo, Santa Cruz.

. Nordic Food Lab – Noma, Copenhaga, Dinamarca. Investigação científica em gastronomia.

 

18h00-20h00 Showcooking dos chefs Sangue na Guelra. Tema: Ostra

 

Os chefes que participam nos jantares do Sangue na Guelra vão subir ao palco para cozinhar e falar sobre ostras  - num país como o nosso que produz mais do que consome. 

 

 

O Mesa Marcada associa-se (de novo) ao Sangue na Guelra, como media partner. 

 

Posts Relacionados:

Sangue na Guelra vítima do seu próprio sucesso

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:26

36 Horas em Lisboa segundo o New York Times

por Miguel Pires, em 08.04.15

"36 Hours" é uma série de reportagens em video da secção de viagens (Travel) do New York Times e a mais recente é sobre Lisboa (região). São seis minutos, com uma óptima montagem e uma belíssima fotografia (tendo em conta do meio a que se destina) que captam uma certa essência da cidade.
 
Há lugares óbvios, como os Pastéis de Belém, o Palácio da Pena, o Museu de Arte Antiga e, até certo ponto, a Tasca do Chico, o Park ou a Pensão Amor. Contudo, também há lugares menos óbvios como o Leopold, ou outros de que há muito não ouvia falar e dos quais tenho boas recordações como o Pitéu (na Graça) ou o terraço do Hotel do Chiado. 
 
Posts Relacionados: 
 
Lisboa é tema de capa da secção Travel do New York Times
See these olive trees?
 
 
 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:49

Sangue na Guelra vítima do seu próprio sucesso

por Miguel Pires, em 06.04.15

Cartaz Sangue na Guelra 2015.jpg 

Conheço vários produtores de eventos que gostariam de ter o problema com que se depararam a Ana Músico e o Paulo Barata da Amouse Bouche: mal começou a saber-se o cartaz dos jantares do Sangue na Guelra e já eram mais os pedidos de reserva do que os lugares disponíveis.

 

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:18

Captura de ecrã 2015-04-4, às 12.42.56.png

Por estas alturas da Páscoa nuestros hermanos españoles invadem-nos as calles um pouco por todo o país. Não sei se é impressão minha, ou se foi por ter tentado ontem ir a Sintra, mas parece que regressaram em força, depois de dois anos mais apáticos (por causa da crise) em termos de visitas. Mas ao contrário dos Filipes de 1580 as invasões de hoje são bem mais simpáticas e a imagem que levam também. Nos últimos tempos tenho ido várias vezes ao país vizinho e nunca senti tanto entusiasmo em relação ao nosso país (sobretudo em relação a Lisboa) como agora.

 

 

 

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:13

Estádio de Alvalade.jpg

 

A Revista Time Out prepara-se para estender o conceito do Mercado da Ribeira ao estádio de Alvalade, ou mais concretamente à área de restauração da zona comercial Alvaláxia, soubemos de fonte segura ligada ao processo. Consta que se trata de uma estratégia definida pelo Sporting para evitar a saída de jovens promessas como João Mário, muito pretendido pelo Kardemir Demir Çelik Karabükspor, da Turquia.

 

 

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:07


Confira os premiados e as listas...


Mesa Marcada no Twitter


Siga-nos no facebook


Mesa Marcada apoia:


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)
Paulina Mata (convidada especial)
Alexandra Forbes (convidada especial)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Comentários recentes






Calendário

Abril 2015

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930

subscrever feeds