Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A crise continua a apertar

por Rui Falcão, em 29.11.10

 

Pelo menos é o que insinua a informação mais recente da AHRESP - Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, noticiando que no ano passado terão fechado portas mais de dez mil restaurantes em Portugal. Assumindo que os números são fidedignos e não um empolamento artificial para forçar o governo a uma qualquer benesse, a dimensão do drama é impressionante e reveladora do mau estado do sector em Portugal. Sobretudo, porque não se esperam melhoras significativas para os tempos mais próximos.

E nos vinhos, quando é que começaremos a ver os primeiros sinais de derrocada com o remate de alguns dos nomes que hoje damos como certos?

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:51

Muito se tem falado de estrelas michelin nestes últimos dois dias e, sobretudo, da perda do Eleven. Mas houve uma injustiça que só amiúde se ouviu falar: a não atribuição da estrela a Leonel Pereira.

Este ano acompanhei de perto o seu trabalho: fiz várias refeições no Panorama e vi-o em grande forma no Peixe em Lisboa. Produziu um trabalho para a Up (revista da Tap) que coordenei e tivemos oportunidade de conversar variadíssimas vezes.

Leonel Pereira é um profissional muito experiente (com passagens por França, Itália e, sobretudo, pelo  Brasil) e consegue reunir qualidades que se materializam naquilo que a sua cozinha é hoje: uma cozinha de produto, sofisticada e arrojada qb. Uma cozinha equilibrada, de grande sensibilidade nas conjugações, colorida, cosmopolita mas também de terroir - é que ele nasceu e cresceu na terra e esse passado reflecte-se no que faz. Leonel domina as técnicas clássicas mas não esconde gosto por experimentar e de arriscar. De utilizar as novas técnicas para chegar onde quer.

Os 3 anos que já leva no Panorama e no Hotel Sheraton Lisboa permitiram-lhe ganhar consistência e evoluir conceptualmente com segurança. Conseguiu reunir uma boa equipa na cozinha e, na sala, que era sem dúvida o elo mais fraco, a melhoria foi muito evidente. Comparado com os restaurantes com um estrela michelin em Portugal, talvez só perca para o Tavares e para o Fortaleza do Guincho.

 

Como dizia alguém num dos muitos comentários que tenho lido: para o ano há mais. Eu diria antes: amanhã há mais. Há mais clientes para servir.

 

 

 

 

 

 

As fotos são do fotógrafo Paulo Barata e foram tiradas para o trabalho da Up que referi acima.

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:31

Venda de Natal no Convento dos Cardaes

por Duarte Calvão, em 27.11.10

Como já é costume, o belíssimo Convento do Cardaes, em Lisboa (Rua do Século, 123), onde se destacam os seus magníficos azulejos (na foto) e decoração barroca, promove neste fim-de-semana uma venda de Natal, com as receitas a reverterem para a obra social da instituição. Mais de 20 tipos de compotas, doces, geleias, chutneys, conservas e muitos outros artigos deliciosos, elaborados por membros do voluntariado do convento vão estar à disposição do público, que também os pode provar no local, com chá e scones. Hoje até às 20h e amanhã das 14h às 20h. A não perder.

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:42

Noite de estrelas em San Sebastian

por Duarte Calvão, em 26.11.10

Volto agora do lendário hotel Maria Cristina, em San Sebastian, onde a Michelin anunciou as estrelas para os restaurantes no guia vermelho para Espanha e Portugal em 2011, a que se seguiu animada festa com tapas de Pedro Subijana, Martín Berasategui, Arzak e duas novas promessas da cozinha basca, Eneko Atxa (cujo restaurante Azurmendi acabara de conquistar a segunda estrela) e Patxi Eceiza (restaurante Zaldiáran).  Mas as estrelas ficaram só em terra, porque nesta cidade magnífica só há nuvens no céu. Aliás, a chuva e o frio que se fazem sentir, são o quadro adequado para a triste notícia da perda de estrela do Eleven, restaurante a que estou ligado por laços de amizade com o seu chefe Joachim Koerper, com quem aliás escrevi um livro, um grande cozinheiro e uma excelente pessoa. Tive que lhe dar a novidade. Ficou sem palavras, creio que em estado de choque, sem perceber as razões porque foi penalizado.
O Michelin tem essa característica de não dar explicações para as suas influentes classificações e muitas vezes não as compreendemos. Se o Eleven não merece agora uma estrela, o que se terá passado num espaço de um ano? O que mudou? E o que dizer das centenas de restaurantes equivalentes ou mesmo piores que conseguem uma ou até duas estrelas? Ainda hoje, Joan Roca se lembrou de como tinha comido bem lá, quando esteve no Peixe em Lisboa, em Abril, e Alex Atala tinha me dito o mesmo, quando estive com ele em São Paulo, em Maio.
Mas a verdade é que, gostemos ou não, o Michelin tem uma capacidade de mobilização mediática sem paralelo. Esta noite, as principais cadeias de televisão espanhola davam em directo as reacções dos chefes distinguidos e alguns dos mais importantes nomes da crítica espanhola marcaram presença. Ainda que a outro nível, também os espanhóis têm grandes razões de queixa do guia espanhol. Se é verdade que mantiveram os seus sete três estrelas, continua a não se perceber como chefes geniais como Quique Dacosta ou Andoni Aduriz (restaurante Mugaritz) se fiquem pelas duas estrelas. Em compensação, há quatros novos duas estrelas e apenas o Ábac, de Barcelona, baixou de duas para uma. Azurmendi (Larrabetzu, no País Basco), Miramar (Girona), Ramón Freixa (Madrid) e Calima (Marbella) são os novos duas estrelas e cada vez que a distinção era anunciada, Joan Roca, Martín Berasategui, Juan Mari Arzak, Elena Arzak Quique Dacosta, Andoni Aduriz e outros nomes importantes da cozinha espanhola festejavam efusivamente com os respectivos chefes.
No que diz respeito a uma estrela, parece que a vizinhança de Portugal não dá sorte. Entre as várias descidas (também houve vários novos que a ganharam), saliente-se a Casa Marcelo, de Marcelo Tejedor, em Santiago de Compostela, onde estive há cerca de um ano e que me pareceu merecedor da distinção, e do Altair, em Mérida, de que guardo boas recordações das duas vezes que lá estive. De realçar que nas “promessas” de duas estrelas para a próxima edição do guia está o Solla, de Pepe Solla, em Pontevedra.
Voltando a Portugal, vamos ver como Joachim Koerper e a equipa do Eleven reagem a este duro e, a meu ver, imerecido golpe. Espero que encontrem ânimo para reagir e que nos continuem a dar o seu melhor.

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:21

Eleven perde estrela Michelin

por Duarte Calvão, em 25.11.10

 

Más notícias para Portugal no guia Michelin 2011. Acaba de ser anunciado em San Sebastian que a única novidade é a perda da estrela do Eleven, em Lisboa, do chefe Joachim Koerper. Uma pena.

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:17

Wine&Spirits Magazine

por Rui Falcão, em 25.11.10

 

O mês de Novembro é sinónimo de número especial da Wine&Spirits Magazine, de longe a revista norte-americana que mais e melhor acompanha os vinhos portugueses, uma das poucas que segue com atenção o que se passa em Portugal, a única que realmente explora para além do Douro e Vinho do Porto, interessando-se pela realidade de regiões menos conhecidas internacionalmente como Bairrada, Vinho Verde ou Dão.

E Novembro é o mês do número mais aguardado do ano, a edição que premeia e assinala os 100 melhores produtores do ano, divididos entre produtores locais e produtores internacionais segundo os critérios da revista. Este ano, entre os 100 melhores do mundo, destacaram-se quatro produtores portugueses, todos do Douro, representados pelos vinhos do Douro e Porto. São eles a Niepoort, Quinta do Noval, Quinta do Vallado e Quinta do Vesúvio.

Note-se que, nas 24 edições dos 100 melhores da Wine&Spirits Magazine, a Aveleda já conseguiu obter a nomeação em dez ocasiões, Luis Pato e Niepoort em oito ocasiões e a José Maria da Fonseca em seis ocorrências.

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 10:06

Um Fugas a não perder

por Rui Falcão, em 24.11.10

 

É já no próximo sábado que irá ser publicada mais uma edição especial do suplemento Fugas do jornal Público, inteiramente dedicada ao vinho, numa parceria entre a Revista de Vinhos e os colaboradores do jornal Público.

Como não poderia deixar de ser nesta época do ano, a edição especial será dedicada aos vinhos do tempo frio, aos vinhos de Inverno, aguardentes, espumantes e a toda a gastronomia que a estação sugere. Vão ser mais de 100 páginas sobre o tema, numa edição imperdível.

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:32

Uma entrada e uma saída

por Duarte Calvão, em 23.11.10

foto: chefesdecozinha.com

Para quem ainda não sabe, Giorgio Damasio, antigo chefe do hotel Lapa Palace, depois de uma experiência falhada no Algarve, é agora o  responsável pela cozinha do novo D'Oliva, em Lisboa, na zona da Av. da Liberdade. Quanto a Aimé Barroyer, antigo chefe do hotel Pestana Palace, em Lisboa, deixou o recém-inaugurado Oitavos, em Cascais.

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:34

 

Ilustração: retirada do FT.Com

 

"Lunch with FT" é uma rubrica semanal do Financial Times em que um jornalista almoça com uma personalidade conhecida da politica, dos negócios ou das finanças. Nesta semana o convidado foi Durão Barroso e o almoço teve lugar na York House, em Lisboa. No Facebook, José Tomaz Mello Breyner, responsável pelo hotel, referia a sua culpa na escolha do menu. Segundo o relato do jornalista autor da peça, Peter Spiegel, o presidente da Comunidade Europeia mostrou-se pouco à vontade por terem escolhido  foies gras quando por todo lado só se fala em medidas de austeridade. "Depois disto vai ter que escrever que esta não era a minha sugestão", referiu. Resta saber se meio a sério se meio a brincar. Sobre o resto do artigo, enfim... não me vou pronunciar. O tema já pouco teria a ver com o deste blogue (ler o artigo completo aqui).

 

Elucidativo também nessa página o texto "Cozinha portuguesa: Despretensiosa, indiferente a modas - e quase invisível". Até podemos enterrar a cabeça na areia, irritarmo-nos e chamar-lhes ignorantes  mas na verdade o que fica é o que está escrito neste jornal de grande influência mundial. Não é que digam mal, mas basicamente variam entre a condescendência e a irrelevância da nossa cozinha, fora do nosso país.

 

A propósito não era altura de se ouvir falar mais sobre o que fez, faz ou pretendem fazer os mentores do programa Taste Portugal? é que o mesmo foi lançado há uns meses, com toda a pompa e circunstância, mas o plano de acções continua desconhecido.

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:29

Afinal o Algarve é espanhol?

por Rui Falcão, em 22.11.10

 

Não, não se trata de um qualquer sentir iberista algarvio, de um potencial movimento integrista com Espanha, mas antes de um azeite descoberto em São Paulo, no mercado municipal de São Paulo, no meio das muitas bancas que oferecem desde as frutas mais exóticas à carne de crocodilo, passando pelos produtos portugueses genuínos, tal como este azeite português, de marca Algarve, que, apesar da péssima fotografia tirada com o telemóvel, indica que é “produzido com as melhores azeitonas do mediterrâneo, prensadas a frio, ao melhor estilo português”. O único senão é que, revirada a garrafa, se descobre, em letras bem pequenas no contra rótulo, a indicação de que o azeite provém de Espanha, do império andaluz Acesur, um dos maiores grupos mundiais da indústria do azeite…

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:25

Pág. 1/3



PUB



Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Novembro 2010

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930

Comentários recentes

  • maria sou

    Uau!... Mas não gosto do nome. Está parecido com a...

  • João Faria

    Interessante análise e reflexão. Fiquei curioso em...

  • Adriano

    Miguel não me leves a mal este bocadinho de mau ol...

  • silva

    acho preço bastante caro, a não ser que as garra...

  • Artur Hermenegildo

    Ao que diz o Bloomberg, o Gaggan, nº7, irá fechar ...


subscrever feeds