Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Vila Joya passa Inverno em Seteais

por Duarte Calvão, em 20.11.12

Acaba de ser divulgada uma das notícias gastronómicas deste final de ano. É que de 13 de Dezembro a 14 de Fevereiro, o restaurante do Vila Joya (duas estrelas Michelin) vai encerrar em Albufeira e mudar-se para o histórico hotel do Palácio de Seteais, em Sintra, servindo almoços e jantares de quinta-feira a domingo. O Vila Joya trará a equipa, estando prevista a presença ocasional de Dieter Koschina, apresentando ao almoço menus de três pratos (95 euros) e ao jantar menus que vão de três (95 euros) a seis pratos (165 euros). O restaurante deste hotel do grupo Tivoli funcionará como de hábito, ficando a Sala D. João VI, com apenas 20 lugares, reservada para a cozinha do Vila Joya. O hotel garante serviço de "transfer" a quem o solicitar, uma boa ideia, sobretudo para quem quer apreciar os menus de vinhos do Vila Joya e vai guiar a seguir. Reservas: tel. 219 233 200.

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:21

Vêm aí as estrelas

por Duarte Calvão, em 20.11.12

Nesta quinta-feira, Vincent Farges faz 39 anos, disse-me quem tem Facebook, e tomara que nesse dia a Michelin lhe dê de presente a segunda estrela que a Fortaleza do Guincho merece há já um bom par de anos. É que nessa noite, no hotel Ritz de Madrid, vai ser apresentado o guia Michelin Espanha e Portugal 2013 (lá estarei, para depois contar aos leitores do Mesa Marcada) e vamos ver como correm as coisas desta vez. Vamos ver se, além da Fortaleza do Guincho, também o Vila Joya vê recompensada a sua enorme qualidade, tornando-se no nosso primeiro três estrelas, se Leonel Pereira recebe finalmente no Sheraton a sua merecidíssima primeira estrela, se José Avillez reconquista, agora no Belcanto, a estrela que tinha no Tavares. O facto deste restaurante ser muito recente, abriu em Janeiro, poderá prejudicar a atribuição de estrela, no entanto, como veio na continuidade do trabalho desenvolvido no Tavares, inclusive em termos de equipa de cozinha, esperemos que os inspectores tenham sido generosos.

Quanto ao mais, não me parece que haja outras estrelas prováveis, embora o guia Michelin tenha por hábito nos surpreender. E tomara que essas surpresas sejam todas pela positiva, o que nem sempre acontece, e eu receie (não por experiência própria nos restaurantes em causa, mas por relatos confiáveis) que possa haver também perda de estrelas. Onde a expectativa é grande, alimentada pela presença no Ritz do director mundial do guia, o norte-americano Michael Ellis, é em Espanha. Tomara que sim, porque dificilmente se percebe como, por exemplo, Quique Dacosta e Andoni Luis Aduriz, para falar apenas de dois casos que conheço, ainda não têm a terceira estrela. Sobre isto, é de ler este post de Carlos Maribona e este outro de José Carlos Capel.

Mas Vincent Farges tem já um motivo para estar satisfeito nesta quinta-feira. É que nesse dia arranca a etapa final da belíssima iniciativa Rota das Estrelas, que tem melhorado de ano para ano, constituindo uma espécie de festival gastronómico itinerante,proporcionando convívio entre vários chefes, inclusive de outros países, bem como entre membros das respectivas equipas, que ficam a conhecer outros ambientes e modos de trabalhar, dando aos clientes refeições de grande qualidade, nem sempre fáceis de encontrar a este nível em Portugal.Esperemos que seja o que vai acontecer agora, com Farges a receber no primeiro dia os chefes franceses Aimé Barroyer (Tavares), Benoît Shinton (Il Gallo D'Oro), Guillaume Salvan (restaurante La Falaise, Cahuzac sur Vère, uma estrela), Jean Luc Ortu (consultor gastronómico em Nice, foi um dos mentores do chefe anfitrião) e o austríaco Dieter Koschina (Vila Joya). Na sexta-feira, volta Koschina, agora ao lado do seu compatriota Hans Neuner (Ocean) e de José Cordeiro (Feitoria), do inglês Adam Simmonds (Danesfieldhouse, em Buckinghamshire, uma estrela), do holandês Erik Van Loo (Parkheutel, Roterdão, duas estrelas), e do israelita Meir Adoni (Catit, Telavive, em Israel não há guia Michelin). No sábado, último jantar, a novidade é o alemão Jens Rittmeyer (KAI3, Sylt, uma estrela), que já esteve no São Gabriel, no Algarve, com Neuner, Van Loo, Simmonds, Salvan, Ortu e Adoni a repetirem a presença.

O primeiro jantar fica em 180 euros por pessoa e os seguintes em 200, todos com bebidas incluídas. Quem quiser, pode aproveitar a ocasião e, além de jantar, fica no hotel pelo preço de 100 euros (quarto duplo) ou 130 (duplo superior). Reservas: tel. 214 870 491.

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:24


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Novembro 2012

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Comentários recentes

  • João Gonçalves

    "E, é claro, o Varanda do Ritz Four Seasons, de Li...

  • Duartecalf

    Se no ano passado íamos duplicar e não duplicámos,...

  • Miguel Pires

    Seria de bom tom, a alguém que tem uma opinião tão...

  • Miguel Pires

    Podemos sempre especular o que quisermos, como, po...

  • Anónimo

    Miguel,Neste momento já foram recebidos os convite...


subscrever feeds