Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Um português a aprender no El Bulli

por Duarte Calvão, em 20.10.09
A culpa é minha por dar à política uma atenção que se calhar ela não merece, fazendo com que nos últimos tempos tenha andado algo distraído. Por isso, apesar de leitor assíduo do Fórum de Gastronomia da Nova Crítica, só depois da Paulina Mata me ter alertado num comentário a um post que aqui escrevi, é que fui ver este tópico. De facto, depois de José Avillez, que mostrou ter aproveitado bem o tempo que por ali passou, temos agora outro jovem cozinheiro português, Frederico Ribeiro, a estagiar no El Bulli (em cima, a foto na célebre cozinha-laboratório do restaurante catalão). Aliás, o Frederico está a relatar a sua experiência em local próprio: http://www.fredericoribeiro.com/.
Conheci o Frederico Ribeiro de forma curiosa. Há quase um ano, acompanhei os sete chefes de Portugal que se apresentaram no Lo Mejor de La Gastronomia (Bertílio Gomes, Fausto Airoldi, Henrique Sá Pessoa, José Avillez, Ljubomir Stanisic , Luís Baena e Vítor Sobral), em San Sebastian, e aproveitámos para ir almoçar ao Martín Berasategui. Foi uma refeição extraordinária e, no fim, ao visitar a gigantesca cozinha (creio que cerca de 500 m2), qual não foi o nosso espanto quando fomos interpelados em português pelo Frederico que por lá andava a estagiar (sei que, depois disso, a Marta da equipa do Bertílio, agora na Casa da Comida, também lá esteve) e tivemos uma conversa muito simpática, onde percebi que, apesar da juventude, ele tinha as ideias bem arrumadas.
Depois disso, também soube agora, já esteve no Fat Duck, de Heston Blumenthal, e agora o Bulli, de Ferran Adrià. Ou seja, em cerca de um ano trabalhou nas equipas de três dos melhores restaurantes do mundo. Um currículo espectacular, que creio não ter paralelo em Portugal. Por outro lado, uma prova que temos entre nós jovens cozinheiros que vão fazendo o seu caminho na melhor cozinha a nível internacional e só por absurdo tal não acabará por nos beneficiar aqui em Portugal. Para já, vamos acompanhar a carreira do Frederico, esperando que ele sirva de exemplo para outros, e desejar-lhe toda a sorte do mundo.

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:45


8 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.10.2009 às 23:24

É com grande satisfação que vejo um grande amigo com um futuro tão promissor, e tenho a certeza que vai muito longe, não só pelas sua formação mas também pelo seu espírito aventureiro, e porque também faz o melhor arroz de pato do mundo!!!
Boa sorte Fred
Queres pão com chouriço?!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.10.2009 às 01:13

Porque sera que só se dá valor ás pessoas quando elas vão lá para fora,exite tão bons cozinheiros em Portugal e que nunca foram para o estrangeiro e que são um exemplo para a nossa gastronomia é que por vezes certas pessoas mesmo estagiando nos melhores restaurantes do mundo só lá vão ver o que lá se faz quando chegam cá vamos ver os que são capazes de fazer e quando se tem os papas a financiarem os filhinhos para irem para esses restaurantes de renome é facil queria ver esses a pagarem do seu bolso as despesas, caso da marta que ganhava 600 euros sera que o dinheiro a ela estica com ajudas dos pais tambem eu e mesmo assim quero ver até onde vão esses cozinheiros o tempo o dirá.
Sem imagem de perfil

De Miguel Pires a 22.10.2009 às 11:47

Muitos dos chefes que se ouve falar nasceram e cresceram para o ofício em Portugal e tornaram-se referências por mérito próprio, cá (ou mesmo lá fora, como é o caso de Vítor Sobral no Brasil). Por isso não entendo onde quer chegar com estes seus comentários. Talvez a falta de pontuação total nos mesmos, os tornem incompreensíveis para mim. Deve ser isso.
Sem imagem de perfil

De Paixão da Silva a 22.10.2009 às 15:54

Se leres um pouco o blog do Fred vais perceber que isso que estás a dizer não é bem assim..
Ele sobrevive dos seus rendimentos, antes de ir para o the fat duck andou nos suburbios de Londres a ganhar trocos num restaurantezinho, no Berazategui chegou a viver na cave do restaurante e sustentava-se com extras... Fazias o mesmo??? Sugeitavas-te a perder o teu comudismo?
..Secalhar referias-te ao José Avillez, porém aquilo que ele teve por nascença podia não ter servido de nada sem o seu talento, esforço e dedicação.. À muito menino rico a viver do "ar" a a passear a prancha na praia..Ele não..aproveitou o que a vida lhe deu..
O Fred por sua vez fez-se à vida e o seu esforço está a dar frutos, tu secalhar acabaste a escola e meteste-te no 1º hotel ou restaurante que apareceu, até nem ganhas mal e não estás para te chatear, ele acabou o curso e foi bater à porta dos melhores do mundo,com os poucos trocos no bolso que qualquer jovem de uma familia classe-média tem...Farias o mesmo?

Cumprimentos
Sem imagem de perfil

De nuno castro a 29.11.2009 às 15:36

Triste comprovar que a língua portuguesa continua a ser maltratada neste blog....o programa nas Escolas de Hotelaria esquece a língua nacional... Ao menos temos cozinheiros talentosos, mas que não sabem escrever um texto sem dar os erros mais básicos... Não esquecer que quando forem mediáticos, e aparecerem nas televisões até fica bem falar em bom português....

Nuno Castro
Sem imagem de perfil

De Frederico a 23.10.2009 às 17:21

Obrigado pelo texto e pela força.

Tive o prazer de conhecer pessoalmente e profissionalmente a Marta no Martin Berasategui e ela é uma grande profissional.

Costuma-se dizer que para se ter boa sorte, quando esta nos é desejada, tem que se mandar as pessoas a merda.. Mas eu não o vou fazer. :)

Mais uma vez, obrigado por tudo...
Sem imagem de perfil

De Joel a 25.10.2009 às 13:36

Parabens fred, imagino que estas a passar grandes momentos... Prepara te para o que virá...
Anonimo, o que estás a dizer nao é verdade... Aqui em portugal temos bons chefes que nao tem uma passagem pelo estrangeiro, até posso concordar, mas o que acontece é que em um ano o fred aprendeu e evolui como ninguem, enquanto que alguem que se tenha mantido por aqui, fica limitado, porque nao presenciou, nao esteve la, apesar de toda a informaçao disponivel gastronimacamente falando...
E digo com toda a certeza, que
esses cozinheiros que sao o caso do frederico vao muito longe...
Sem imagem de perfil

De Zé Ribeiro a 26.10.2009 às 19:45

Parabens Frederico, a arte nasce com o ser humano não com o dinheiro. O talento aperfeiçoa-se com a experiencia, e a motivação é segredo do profissionalismo. Tú tens tudo isso, e como os grandes artistas que vão aprender com os grandes mestres, a vida é feita de sacrificios. Só quem realmente gosta do que faz, é que passa pelas amarguras da vida. Não é facil sair da nossa familia, amigos, e ir ao encontro de um mundo desconhecido.
Alguns criticos, ainda vão engolir a sua ignorancia.
Força Portuga, nós tambem temos artistas.Tudo passa pela motivação e profissionalismo.

Comentar post



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

PUB


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Outubro 2009

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Comentários recentes

  • Miguel Pires

    Oops, já corrigido. Agradeço o reparo.

  • Martinho Cruz

    Tudo bem. Vega “Cecília” é que me ultrapassa.....

  • Anónimo

    Esta é uma boa notícia para esta altura do Natal.....

  • Duarte Calvão

    Acho, João Faria, que coloca a questão nos termos ...

  • João Faria

    É verdade que, infelizmente, a mudança ocorrida na...