Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Vinha fazer um depósito, sff

por Rui Falcão, em 09.09.09
A crise económica, como todas as crises, aguça a imaginação. Tanto que em Itália os bancos comerciais passaram a aceitar vinho como garantia bancária para assegurar crédito aos produtores em dificuldades. Alguém descobriu que uma lei medieval, e nunca revogada, admitia as rodas gigantes de queijo parmesão como garantia bancária para empréstimos. Vai daí, o senhor ministro da agricultura decidiu fazer uma adenda à lei, permitindo que o vinho seja igualmente considerado como forma de caução.
Olhe, faz favor, queria depositar duas garrafas de branco e uma de tinto…

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 09:33


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.09.2009 às 12:07

todos os fabricantes de queijo da zona de Parma entregam em depósitos dos bancos todo o queijo durante a cura. Tem muitos anos e foi a forma de evitar que os produtores vendessem o queijo antes de ele atingir o padrão de qualidade minímo. foi também a forma de baixar os preços, principalmente das curas de dois anos e mais.
Espanha tem o mesmo sistema para presuntos.
Sem imagem de perfil

De Rui Falcão a 09.09.2009 às 13:07

O extraordinário é a nova interpretação/adenda à lei que possibilita que o vinho seja colocado como garantia nos empréstimos bancários a um sector que vive algumas dificuldades financeiras. Eventualmente, o que será verdadeiramente extraordinário nesta história é o apoio entusiasta do ministro italiano da agricultura à ideia, um sentimento de apoio a que não estamos habituados.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 09.09.2009 às 23:23

De facto, nem consigo imaginar o contentamento do ministro português da agricultura à ideia da Casa do Douro dar como garantia algumas pipas...
Questão de cultura ou questão de miopia?

Maria Helena
Sem imagem de perfil

De Rui Falcão a 09.09.2009 às 23:35

Maria Helena, não conheço os detalhes da proposta italiana, mas admito que na sua génese estejam preocupações genuínas sobre a dificuldade no acesso ao crédito por parte de muitos produtores e que ela se restrinja a produtores e não a entidades equivalentes à Casa do Douro, se existir tal contrapartida em qualquer uma das centenas de denominações italianas.

Comentar post



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

PUB


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Setembro 2009

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930

Comentários recentes

  • Miguel Pires

    Oops, já corrigido. Agradeço o reparo.

  • Martinho Cruz

    Tudo bem. Vega “Cecília” é que me ultrapassa.....

  • Anónimo

    Esta é uma boa notícia para esta altura do Natal.....

  • Duarte Calvão

    Acho, João Faria, que coloca a questão nos termos ...

  • João Faria

    É verdade que, infelizmente, a mudança ocorrida na...