Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Champanhe...

por Rui Falcão, em 17.06.09

Se fosse crente fiel dos princípios da religião budista faria os possíveis por, numa próxima reencarnação, ressuscitar como viticultor na região de Champanhe. Para quem sempre se queixa que a agricultura e a viticultura são actividades económicas lastimáveis, com custos e riscos elevados, rendimentos miseráveis, a região de Champanhe encarrega-se de reajustar a realidade.
Afinal, com rendimentos mínimos de 10 toneladas por hectare (que, por regra, ultrapassam largamente estes valores por excesso, por vezes quase os duplicando) e com preços hereticamente elevados, é fácil perceber a rentabilidade da viticultura nestas terras tão inóspitas. Sobretudo quando descobrimos que os preços de uva no ano passado se cimentaram, estatisticamente, nos 5.35€ por quilo! Em Portugal, raros são os casos onde a uva é valorizada a mais de 0.50/0.60€ por quilo…
Com rendimentos por hectare tão elevados, é fácil perceber os segredos do conforto bancário de quem possui vinhas na região…

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 12:02


4 comentários

Sem imagem de perfil

De maloud a 17.06.2009 às 19:48

A acreditar neste artigo que li há dias no Figaro, este ano, as contas bancárias vão ressentir-se
http://www.lefigaro.fr/vins/2009/05/23/05008-20090523ARTFIG00222-les-vignerons-se-preparent-au-regime-sec-pour-les-prochaines-vendanges-.php
Sem imagem de perfil

De Rui Falcão a 17.06.2009 às 22:03

Sim, é certo e seguro que a crise, precisamente por causa da crise, também chegou à região de Champanhe. É certo que os preços da uva terão de baixar, com propostas de 4.50€ em cima da mesa e sugestões de descidas de produção para os 7.500 quilos por hectare… valores que foram já rebatidos pelos “sindicatos” de viticultores.
Ainda assim, tomaram muitas regiões ter este tipo de crise, sobretudo numa denominação onde todas as grandes casas quase não dispõem de vinha própria… e quando a quebra de vendas dos champanhes de viticultores, ao contrário das vendas das grandes casas, tem sido pouco significativa.
E ainda bem que esta é uma agricultura de sucesso. Assim fosse em mais partes do mundo!
Sem imagem de perfil

De Miguel Pires a 18.06.2009 às 23:57

recordo de ouvir alguém do meio dizer-me que em Champanhe aquilo de distingue um viticultor pobre de um viticultor rico é que o pobre é quem lava o o seu próprio Mercedes.
Sem imagem de perfil

De Tia Maria a 24.09.2009 às 10:08

Não tendo nada a ver, é o mesmo modo como os engenheiros de informática são valorizados em Portugal e, por exemplo, na Holanda, onde vivo.
Ganhar 1000€ em Portugal é quase uma norma. Eu acabei agora de receber uma proposta de uma empresa da zona de Friesland, norte da Holanda, que me oferecem 8800€ mês mais as regalias em vigência na empresa, carro incluído.
Dá para comprar muita uva.

Comentar post



Pub


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

PUB


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mesa Marcada - Os 12 Pratos do Trimestre


Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Junho 2009

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930

Comentários recentes

  • Alexandre Silva

    O que está a dar, é o que não está a dar! Fico esp...

  • Jorge Guitian

    Uno más para la agenda de la próxima visita a Lisb...

  • Joao Fernandes

    Eu trabalho com mangalitza na Hungria, neste caso ...

  • João Faria

    Há uns tempos deparei-me com uma imagem do marmore...

  • Bruno

    Interessante - moro em Londres e não conhecia o Ta...