Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Noite de estrelas em Madrid

por Duarte Calvão, em 27.11.09

Dizem o que dizem do Michelin e das suas estrelas, mas a verdade é que na noite de quarta-feira, no Mercado de San Miguel, em Madrid (ainda hei-de escrever sobre este magnífico espaço, recentemente recuperado), houve um verdadeiro desfile de chefes na festa do centenário da edição Espanha e Portugal do famoso guia. Carme Ruscalleda, Martín Berasategui, os irmãos Roca, Santi Santamaria, Quique Dacosta, Sergi Arola, Paco Roncero, o sócio de Ferran Adrià, Juli Soler, foram alguns dos presentes que consegui identificar. Televisões em directo, fotógrafos, tudo quanto era tudo da crítica e jornalismo gastronómico espanhol, e muito outros convidados fizeram a festa, que começou com muita alegria e acabou com algumas decepções.

Às seis da tarde tinha passado por lá e só ainda estavam a começar a montar o palco central. Todas as bancas faziam os seu negócio normalmente.. Quando voltei, às 21.45 h, as bancas estavam ocupadas pelos restaurantes Santceloni, Sergi Arola Gastro, El Bohío, El Club Allard, Coque, Terraza del Casino, Zaranda, Diverxo e Kabuki Wellington. E ainda vários a oferecerem bebidas. Uma organização impressionante. Ocupado com a divulgação das estrelas para Portugal, quase não provei nada, entre telefonemas e SMS, e com pressa de voltar ao hotel, onde estava o meu computador.

Durante os discursos sobre o centenário que precederam o anúncio das estrelas, fiquei a saber que dos estabelecimentos mencionados na edição de 1910 só restam seis hotéis na edição de 2010 e dois são portugueses: o Avenida Palace, em Lisboa, e o Grande Hotel do Porto, na Rua de Santa Catarina. Estava perto dos irmãos Roca e vi a ansiedade com que aguardavam o anúncio da tão esperada estrela. Curiosamente, Santi Santamaria, que julgava incompatibilizado com muitos dos cozinheiros "moleculares" depois do que escreveu no seu livro La Cocina al Desnudo, veio dar um abraço e desejar "felicidades" aos seus vizinhos catalães e movimentava-se à vontade entre todos os "envenenadores" que denunciou...

Quando, finalmente, veio o anúncio das novas estrelas, começando pelos que recebiam uma, iniciaram-se os gritos de comemoração, as palmas, os risos e os abraços, como se de golos de final de campeonato se tratassem. Os de Madrid foram os mais efusivos, com destaque para o Diverxo, Ramon Freixa e Kabuki Wellington. Mas também para a Enoteca, do Hotel Arts, em Barcelona, ao qual creio que Sergi Arola está ligado, e ao M.B. no Hotel Abama, em Tenerife, do também presente Martín Berasategui, que fez uma primeira festa (já conto a segunda).

Fiquei muito bem impressionado com a reacção que causou o anúncio da estrela para o Tavares. Não só foi bastante aplaudida como ouvi vários cozinheiros e jornalistas a aprovarem a atribuição e a mencionarem o nome de José Avillez. Uma reacção que, em termos de prestígio, vale quase tanto quanto a estrela.

Nesta altura, como compreendem, não acompanhei bem o anúncio de quem perdeu a estrela, mas destaco dois, até porque sei muito frequentados por portugueses: El Cháflan, em Madrid, e a Taberna de Rotillo, em Sanxenxo, na Galiza.

Nas duas estrelas, nova explosão de alegria de Martín Berasategui, quase levado em ombros pelos seus colegas, com o anúncio da entrada nesta categoria do seu Lasarte, no Hotel Condes de Barcelona, em Barcelona. E a festa quase atingiu o rubro com a segunda estrela, ansiada há vários anos, para La Terraza del Casino, de Paco Roncero, com consultoria de Ferran Adrià, em Madrid. O chefe e a sua equipa quase que caíam ao chão. Menos festejados foram a Casa Marcial, em Arriondas (Astúrias) e o surpreendente Les Cols, em Girona.

Finalmente, o anúncio da entrada no Olimpo das três estrelas do El Celler de Can Roca, com os três irmãos a abraçarem-se como se não se vissem há 20 anos, sem mãos e braços para tantos cumprimentos e parabéns, com as luzes dos directos e os flashes a iluminarem a sua enorme e merecida alegria.

Depois, vi pouco, mas ainda pude falar com várias pessoas e, também eu, dar os parabéns a Joan Roca (na foto) uma simpatia de pessoa, a quem parece que nenhuma distinção sobe á cabeça. E pensar que há tantos por aí a quem basta uma referência qualquer num qualquer jornal...

Neste clima de alegria e festa, uma nota final de tristeza para a injustiça cometida mais uma vez pelo Michelin com Quique Dacosta (o seu restaurante em Denia, que antes se chamava El Poblet, agora leva o seu nome) a sair mais cedo, visivelmente decepcionado por não levar dali a terceira estrela que tantos acham que ele merece. Ainda lhe dei um abraço (conheci-o no Peixe em Lisboa deste ano, onde ele apresentou a sua genial cozinha) e tentei consolá-lo dizendo que "para o ano é que vai ser". Não me pareceu muito convencido. Afinal, com o Michelin nunca se sabe...

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:25



Pub


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

PUB


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mesa Marcada - Os 12 Pratos do Trimestre


Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Novembro 2009

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

Comentários recentes

  • Alexandre Silva

    O que está a dar, é o que não está a dar! Fico esp...

  • Jorge Guitian

    Uno más para la agenda de la próxima visita a Lisb...

  • Joao Fernandes

    Eu trabalho com mangalitza na Hungria, neste caso ...

  • João Faria

    Há uns tempos deparei-me com uma imagem do marmore...

  • Bruno

    Interessante - moro em Londres e não conhecia o Ta...