Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Danos colaterais

por Rui Falcão, em 05.01.10

 

 

As crises financeiras têm destas coisas, efeitos inesperados e perturbadores, capazes de provocar comoção no mercado. Saído do nada, e quando ninguém o poderia prever, a ENATE, um dos maiores e mais sólidos produtores de vinho espanhóis, o gigante da denominação Somontano proprietário de 500 hectares de vinha, decidiu solicitar protecção judicial que lhe permita poder deixar de assumir os seus compromissos junto dos credores. Aparentemente, não estará em causa a solidez financeira e comercial da ENATE, um dos produtores mais sólidos de Espanha, mas sim do seu principal accionista, o grupo imobiliário Nozar, a contas com seriíssimas problemas de insolvência financeira. Grupo Nozar que, infelizmente, é igualmente accionista, embora minoritário, das bodegas Aalto…

E em Portugal, corremos o risco de poder assistir a fenómenos semelhantes?

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 08:41


6 comentários

Sem imagem de perfil

De l.rodrigues a 05.01.2010 às 13:01

As metástases de uma economia financeirizada....
Imagem de perfil

De Rui Falcão a 05.01.2010 às 17:32

Sim, são os dramas de quem depende dos grandes grupos financeiros, imobiliários ou especulativos...
Imagem de perfil

De Miguel Pires a 05.01.2010 às 22:33

Se não fosse o Estado, via CGD , vir em socorro do BPN e o mesmo poderia ter acontecido com a Murganheira , que como se sabe pertence ao universo deste banco.
Imagem de perfil

De Rui Falcão a 06.01.2010 às 00:58

Pois, e não é caso único...
Sem imagem de perfil

De Abílio Neto a 06.01.2010 às 11:25

Há mais, sobretudo, em Espanha. Os grandes grupos imobiliários apostaram muito nos vinhos e no enoturismo... em Portugal, não me parece que seja assim tanto.

Aguardemos.

Abr.,

An
Sem imagem de perfil

De Miguel Santos a 06.01.2010 às 14:59

Não creio que tal tenha estado perto de acontecer na Murganheira (Tapada do Chaves e Raposeira) com ou sem intervenção do estado, porque a gestão e o núcleo accionista liderado pelo Prof. Orlando Lourenço não trabalham no “fio da navalha”.
Já noutros grupos de sucesso - mas completamente alavancados por via dos investimentos massivos realizados nos últimos anos - talvez. Esperemos que esse caso não se repita por cá.

Comentar post



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

PUB


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Janeiro 2010

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Comentários recentes

  • Miguel Pires

    Oops, já corrigido. Agradeço o reparo.

  • Martinho Cruz

    Tudo bem. Vega “Cecília” é que me ultrapassa.....

  • Anónimo

    Esta é uma boa notícia para esta altura do Natal.....

  • Duarte Calvão

    Acho, João Faria, que coloca a questão nos termos ...

  • João Faria

    É verdade que, infelizmente, a mudança ocorrida na...