Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Taylor’s Scion

por Rui Falcão, em 16.10.10

 

Aguardamos todos, com indisfarçável expectativa, o momento de finalmente provar o Taylor’s Scion, um dos vinhos mais cortejados do ano, naquele que será, muito provavelmente o Vinho do Porto mais caro de sempre. A história do vinho, apesar da dimensão surreal, conta-se em duas penadas. Um dia David Guimaraens descobriu, quase por acaso, duas pipas de um Vinho do Porto ainda pré-filoxérico, de meados do século XIX, na cave de uma família tradicional do Douro que guardou este vinho precioso como reserva da família durante várias gerações. Aparentemente, por volta de 1850 teriam sido atestadas três pipas com este vinho, uma das quais acabaria por ser comprada por Winston Churchill, tendo os herdeiros decidido vender agora o vinho à Taylor’s.

Perante tal valor em mãos, a Taylor’s teve de decidir entre reservá-lo para abrilhantar os lotes de vinhos mais velhos da casa… ou engarrafá-lo em separado, oferecendo um Porto de 155 anos, nunca antes engarrafado. Como se percebe, a casa decidiu-se pela última cláusula, engarrafando um número exclusivo de garrafas que, como não podia deixar de ser, serão vendidas numa embalagem supinamente luxuosa… a preços bem extravagantes. Mas enfim, quantas gerações foram necessárias para tomar conta deste Porto e trazê-lo até aos nossos dias?

Para quem estiver interessado, o preço recomendado arruma-se nos 2.500€.

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 09:35


8 comentários

Sem imagem de perfil

De Luiz Cola a 17.10.2010 às 20:11

Caro Rui,

Já tive a grande oportunidade de degustar um Madeira Malvasia 1870, mas este Porto Scion da Taylor's é realmente surpreendente. Se tiver a chance de prová-lo, não deixe de divulgar a sua experiência.
Tomei a liberdade de divulgar seu texto e a foto do Scion em meu blog (com os devidos créditos obviamente...)
Um abraço,
Luiz Cola
www.vinhosemaisvinhos.blogspot.com
Imagem de perfil

De Rui Falcão a 18.10.2010 às 10:31

Luiz,

Sim, sim, logo que o tiver provado terei o cuidado de publicar aqui as minhas considerações.
Parabéns pelo seu blog.
Abraço
 
Sem imagem de perfil

De Manuela Martins a 19.10.2010 às 22:53

E como é que o comum dos mortais pode ter acesso a essa relíquia?
Imagem de perfil

De Rui Falcão a 20.10.2010 às 12:45

Tanto quanto sei, a única alternativa válida será desembolsar 2.500€ por uma garrafa. Como será fácil de perceber, o Scion será um vinho de imagem para a Taylor’s, com uma edição verdadeiramente liliputiana, de reprodução impossível no futuro. Compreende-se por isso que seja muito caro. Nem outra coisa poderia ser possível. Consegue-se imaginar os custos de um vinho que este imobilizado durante século e meio?
 
Sem imagem de perfil

De Manuela Martins a 20.10.2010 às 21:45

Que esse é o preço tinha eu percebido, quero é saber se vai estar disponível para todos, sendo apenas uma questão depreço, ou se será abarbatado por quem tem conhecimentos no meio antes de chegar aos locais de venda habitual (género aquelas casas caríssimas que são todas vendidas antes de o vulgar de lineu ter conhecimento de que existem).
Pode reservar-se?
Imagem de perfil

De Rui Falcão a 21.10.2010 às 00:26

Peço desculpa, não tinha entendido correctamente a sua pergunta. Não sei, sinceramente não faço ideia se será possível reservar junto da Taylor’s ou se a aquisição de uma garrafa será fácil. São poucas garrafas, distribuídas pelo mundo inteiro, o que, imagino, dificultará um pouco a compra. Desconheço quantas garrafas estão reservadas para o mercado nacional.
 
Sem imagem de perfil

De João de Carvalho a 28.10.2010 às 22:34

Eu e uns amigos bebemos hoje e ficamos maravilhados com o vinho em questão, memorável em todos os sentidos e claramente um vinho de profunda reflexão... vou guardar o tubo de ensaio para o Natal.
Imagem de perfil

De desportista a 30.10.2010 às 17:44

Caro Senhor Rui Falcão, estive hoje a ler, com muito gosto, uma revista do jornal O Público onde vinha um desenvolvido artigo sobre o Scion da vossa grande casa. Era da autoria de Pedro Garcia, penso que natural de Alijó, um bom jrnalista e bom rapaz...
Muito grato ficaria se me informasse acerca da origem das garrafas e dos "decanter" de cristal, pois gosto muito deste sector (vidreiro) e sou também amante dos bons vinhos.
Esta minha pretensão não é para fazer qualqur concorrência ou com qualquer intuito fiscal ou outro!..
Gostaria que me contactasse através do e-mail: luisnetopai@sapo.pt
Com os melhores cumprimentos
Luís Neto

Comentar post



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

PUB


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Outubro 2010

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Comentários recentes

  • Miguel Pires

    Oops, já corrigido. Agradeço o reparo.

  • Martinho Cruz

    Tudo bem. Vega “Cecília” é que me ultrapassa.....

  • Anónimo

    Esta é uma boa notícia para esta altura do Natal.....

  • Duarte Calvão

    Acho, João Faria, que coloca a questão nos termos ...

  • João Faria

    É verdade que, infelizmente, a mudança ocorrida na...