Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Koschina & Friends: Celebração

por Miguel Pires, em 22.01.11

 

 

 

'Hoje não há boouillabaise' - Thomas Bühner


Vieira e trufa de Alba - Heinz Winkler

 

savarin de peixes nobres, carabineiro e caracoleta -  Jörg Wörther

 

 

 

Era 01:30h e o jantar acabara há pouco tempo. Cá fora, os actores dessa noite celebravam mais um jantar bem sucedido na presença de amigos, clientes e convidados que ficaram, quando o Chef Peter Schachermayer veio para a sala fatiar umas peças de barriga de porco assado para servir com salada de rábano e pão de baguete. Rapidamente se formou em sua volta um exercito de braços estendidos de prato na mão. Um prémio merecido para quem trabalhara no duro durante muitas horas para prazer de todos os convivas desse jantar. Acontece que aqueles nacos de carne suculenta eram demasiado irresistíveis mesmo para quem acabara a refeição há poucos minutos e jurava a pés juntos já não ter espaço para mais.

Para trás ficara um desfile de degustações que começara na varanda com várias tapas. Pratos de uma cozinha refinada por cozinheiros de cartas dadas (uma embaixada de 22 estrelas Michelin, se quisermos ir pelo barómetro do guia vermelho).

São todos originários de países da Europa central e a sua cozinha reflecte essa proveniência. Não prescindem de peixes e mariscos nobres mas nota-se uma tendência para lhes acrescentar sabores fumados (de enguia, de alho, ovas de polvo...)

Das propostas apresentadas destacaram-se o fagottini de beterraba com caviar imperial de Frank Buchholz - um belíssimo jogo de contrastes entre doce e salgado, terra e mar. Também muito bem, a bouillabaise desconstruída de Thomas Bühner, ou o savarin de peixes nobres com caracoleta e suas ovas, de Jörg Wörther. O toro de duas formas, cozinhado e cru (em tártaro) com ajo blanco, de Martin Klein trouxe uma certa frescura ao menu, e o peixe galo e aroma de louro com manteiga de enguia fumada de Sigi Heinemann, um singular cruzamento de sabores. O final ficou por conta de Koschina que apresentou uma sobremesa à base de pêra e amendoim, leve e fresca, acompanhada com um espumoso e uma aguardente, ambos também de pêra.

Em todos os jantares do festival há sempre uma pergunta no ar: qual o prato preferido? Se houvesse votação o vencedor da noite seria certamente a vieira com trufa de Alba de Heinz Winkler. Isto porque muitos não ficaram para depois do jantar.  Para  a barriga de porco assado de Peter Schachermayer.

 

(texto publicado no dia 17 de  Janeiro na revista do Tribute to Claudia/International Gourmet Festival 2011 que decorre no Vila Joya aentre 14 e  24 Janeiro . Fotosde Vasco Célio/F32 )

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:23



PUB


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

PUB


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Janeiro 2011

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Comentários recentes

  • João Gonçalves

    Muito interessante. Reconheço que me sinto ignoran...

  • Anónimo

    Só para esclarecer que este comentário é meu. Artu...

  • Marcus

    Esperimente passá-las em farinha de arroz. Elas fi...

  • Miguel Pires

    Pois, eu gosto de comparar e de tirar ilações, sob...

  • Miguel Pires

    Anónimo?