Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Olivo Moura e números que contrariam mitos

por Miguel Pires, em 10.05.12

 

Portugal é um dos maiores produtores de azeite do mundo a par de países como a Espanha, ou a Itália, correcto?

 

Errado. A nossa quota de mercado mundial representa apenas 2%, enquanto que a de Espanha, que lidera, é de 46% e a de Itália, 15%. Até a Grécia produz cinco vezes mais do que nós. 

 

O azeite é uma fonte de divisas para Portugal, certo?

 

Nem por isso, em geral a balança comercial é deficitária. É que consumimos 78 000 toneladas e exportamos 58 000. No entanto como só produzimos 63 000, quer dizer que necessitamos de importar 73 000 toneladas. 

 

Estes números são de Manuel Fialho, da Cooperativa Agrícola de Moura e Barrancos e foram recolhidos pela Alexandra Prado Coelho (APC) num interessante artigo publicado no Público de hoje, a propósito da Olivo Moura - Feira Nacional da Olivicultura que inaugura hoje em Moura.

 

Mas Portugal não foi já auto-suficiente nesta matéria?

 

Sim, "nas décadas de 60 e 70, Portugal era auto-suficiente no consumo de azeite, e exportador líquido. Produzia cerca de cem mil toneladas anualmente.”, como refere Manuel Fialho no mesmo  artigo.

 

E nos últimos anos, a produção de azeite não tem vindo a aumentar?

 

Tem, mas o pior foi o que se passou nos anos 80

 

O que é que aconteceu desde então? (pergunta roubada à APC tal como vem na reportagem. A resposta continua a ser de Manuel Fialho)

 

“Arrancou-se olival por todo o lado. Arrancou-se, por exemplo, todo o do Ribatejo.” E só recentemente “se começou a despertar para a importância da olivicultura depois dos grandes investimentos que espanhóis e portugueses começaram a fazer no Alentejo.”

 

 

Estes insignificantes 2% continuam-me a zurzir na cabeça. E eu que pensava que éramos produtores de referência mundial... Valha-nos que a qualidade aumentou significativamente e, mesmo correndo os riscos de ver uma boa parte dos olivais tradicionais serem substituídos por outros de produção super intensiva (padronizados pela bitola espanhola), "Portugal pode produzir muito mais e fazer crescer os 2% que representa actualmente", como refere ainda Manuel Fialho no mesmo artigo do Público. 

 

Já agora quem puder dê um salto à Olivo Moura - Feira Nacional da Olivicultura. O programa tem uma série de actividades e convidados que vai desde a presença do omnipresente, Chakall, ao raramente se vê por aí, José Quitério. 

 

foto retirada daqui

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:38


8 comentários

Sem imagem de perfil

De AF a 10.05.2012 às 23:54

É verdade, mas nos últimos anos tem melhorado muito, para não dizer mesmo imenso !!
Curiosamente já há gente a queixar-se disso, já resmungam contra a cultura intensiva e território ocupado com tanto Olival hehehe.
Sem imagem de perfil

De AF a 11.05.2012 às 00:11

Ilustrando com números, por exemplo, em 2006 produzimos 518 toneladas de azeite, que caíram para 353 toneladas no ano seguinte. No ano passado, 2011, produzimos 720 toneladas, e provavelmente este ano chegaremos às 750/800. E a qualidade tem aumentado.

Já aqui há umas semanas nuns comentários aqui traçou-se um cenário crítico do sector das conservas, e faziam-se sugestões, mas esse sector também tem mudado bastante nos últimos anos, tal como o peixe em geral.
A balança comercial pode continuar desfavorável, mas tem havido uma grande evolução em muitos produtos.

Lemos discursos críticos mas a mudança já começou desde há uns anos para cá, curiosamente, bastante impulsionada pela crise. As pessoas começam a mexer-se mais, a procurar novos mercados, deixando as suas zonas de conforto até aqui garantido.

É por isso que Portugal é dos países da zona euro que mais cresce consistentemente em exportações desde 2005, embora poucas pessoas tenham noção disso...

Se eu disser que dos países do Euro Portugal é o 2º país em que as exportações mais crescem desde 2005, logo a seguir à Alemanha, alguém acredita ? ;)
Sem imagem de perfil

De AF a 11.05.2012 às 00:13

Só rectificar um erro, na mensagem anterior referia-me a 1000 hl, e não a toneladas.
Imagem de perfil

De Miguel Pires a 11.05.2012 às 10:40

Caro AF

Obrigado pelo seu comentário. Sabe-me dizer em toneladas quanto dá estes 1000hl?
Sem imagem de perfil

De AF a 11.05.2012 às 16:17

Sinceramente não sei. Pesquisando na Net, encontrei este conversor,
http://www.thecalculatorsite.com/conversions/common/liters-to-metric-tons.php
que me dá 1hl=0,086t
Pegando nos 720.000 hl que indiquei de produção nacional em 2011, daria 61.920 toneladas, número que não sendo igual, não anda longe das 63.000 toneladas referidos na entrevista que publicou, pelo que a conversão não deve andar longe disso.

Já agora, os dados que indiquei são do INE,
Boletim Mensal da Agricultura e Pescas, Março 2012
http://www.ine.pt/ngt_server/attachfileu.jsp?look_parentBoui=136879748&att_display=n&att_download=y

Neste outro documento do INE, vem também a produção de azeitona em toneladas nos últimos anos:
Previsões Agrícolas 31 de janeiro 2012
http://www.ine.pt/ngt_server/attachfileu.jsp?look_parentBoui=135350059&att_display=n&att_download=y

Outro factor relevante é o consumo interno, agora não encontro dados, mas tenho ideia de que subiu bastante nas últimas décadas, a certa altura duplicou julgo eu.

A Espanha tem uma produção incrível, em Portugal tem aumentado bastante, mas como referi, já há quem se queixe. Exemplo do tipo de discussão:
http://www.agroportal.pt/x/agronoticias/2010/06/18b.htm
http://ambio.blogspot.pt/2010/07/perplexidade.html
http://arquivo.faroldeideias.com/arquivo_farol/index_2.php?programa=Biosfera&id=901
Sem imagem de perfil

De AF a 11.05.2012 às 16:46

Neste outro documento do INE, Estatísticas Agrícolas - 2010, página 22
http://www.ine.pt/ngt_server/attachfileu.jsp?look_parentBoui=123297957&att_display=n&att_download=y

Usam um factor de conversão de 1 hectolitro = 91,66kg
Imagem de perfil

De Miguel Pires a 11.05.2012 às 17:40

AF,
muito obrigado!
Imagem de perfil

De Paulina Mata a 11.05.2012 às 23:00

É de facto um pouco difícil (impossível) dar um valor exacto. Os valores para a densidade do azeite que encontrei variam entre 0,8 e 0,92. Calculo que dependa do tipo de azeitona de onde é feita a extracção e talvez da temperatura da medição.

Assim, considerando a título de exemplo a densidade do azeite 0,9, então 1000 hectolitros são cerca de 90 toneladas. E portanto 800 mil hectolitros dão 72000 toneladas.

Comentar post



PUB


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Mesa Marcada apoia:


Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Maio 2012

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031

Comentários recentes

  • Artur Hermenegildo

    Ao que diz o Bloomberg, o Gaggan, nº7, irá fechar ...

  • Duarte Calvão

    É curioso, não tinha noção de que o êxito do Henri...

  • Adriano

    Juntando os erros ortográficos que dou aos que o t...

  • Adriano

    Gosto bastante da comida do Sá Pessoa. Também é do...

  • Faz de Conta

    É bom "conhecer" quem admiramos pelo trabalho demo...