Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Post que Anton Ego gostaria de ter escrito

por Miguel Pires, em 15.06.12

 

Lembram-se certamente do filme Ratatouille e da personagem, Anton Ego, o irascível e implacável critico que se desfaz num pranto perante o prato que dá nome ao filme e que o traz de volta às memórias de criança. Pois desconfio que ele gostaria de ter escrito este post. Mas não foi ele, foi mesmo a Isabel Lucas, jornalista de boa boca e talento para conjugar palavras. Raios, como gostaria de ter sido eu a escrevê-lo e assim tão bem. Como não fui consolo-me a roubar-lhe este pedaço e a foto do seu post. 

 

"A metafísica dos chocolates dizia-me pouco. Eu queria a comida que via fazer com demora, esmero, pôr a mão na massa dos rissóis que se recheavam de um creme feito de pescada que eu ajudava a desfiar; na massa dos bolos que pediam descanso para crescer, espécie de milagre a que queria assistir, levantando o pano de linho que a cobria durante algumas horas, como quem quer ver uma flor a abrir. Espreitava com o medo de violar uma intimidade.
Não gostava muito do soco na nuca do coelho, confesso, mas a partir do momento em que ele morria, ia-se a piedade e voluntariava-me para o ajudar na esfola. Não via a faca a passar pelo pescoço da galinha, mas gostava de olhar o sangue a escorrer para a taça de onde haveria de sair uma cabidela. A minha avó abria a ave e tirava-lhe pedaços de gordura amarela, a que chamava enxúdias, e que usava para temperar arrozes, enriquecer guisados e assados de carne. Dividia-a em pequenas porções e guardava-as do frigorífico. Eu ia-me deliciando com as canjas com ovos pequeninos, moelas cortadas e patas a que roía a cartilagem com toda a demora de quem não pensa no tempo." (ler este texto na íntegra, aqui)

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Isabel Lucas a 15.06.2012 às 16:54

Nem sabes como me orgulho de aparecer aqui ao lado de Anton Ego... Obrigada por partilhares estes meus paladares. É a minha gratidão às mulheres com quem cresci que me ensinaram sabores e cheiros que ficaram para sempre. Que me diziam que era preciso alma e mão ou nada corria bem. Ensinaram sobretudo que a comida é muito mais do que alimento para o corpo. A elas.
Sem imagem de perfil

De Miguel a 16.06.2012 às 10:02

Ao ler esse belo post e respectivo blogue, deparei-me com um post sobre um menu especial de sardinha num determinado restaurante de 11 a 15 Junho.

O que quanto a mim não faz qualquer sentido, mesmo que a a tradição a isso obrigue uma, tradição que quanto a mim nasceu torta, mas que chefs actuais deveriam contrariar.

Metam todos de uma vez na cabeça, a sardinha por alturas do Santo António raramente está no seu ponto alto.

A qualidade da sardinha em Portugal atinge o seu pico a quando e na sequência da nortada de Verão, devido ao afloramento costeiro por acção conjunta dos ventos do anticiclone dos Açores e das depressões térmicas no interior da península ibérica.

E esse pico da nortada em termos climatológicos só ocorre a partir de Julho.

São portanto mais os anos em que a sardinha no Santo António está demasiado magra do que os anos em que excepcionalmente existe nortada mais cedo para as termos gordas e saborosas nessa altura.
Este ano não está boa, tal como no anos passado não esteve, só duas ou três vezes em cada década é que está excepcionalmente boa nesta altura.

Comentar post



Pub


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

PUB


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mesa Marcada - Os 12 Pratos do Trimestre


Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Junho 2012

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Comentários recentes

  • Joao Fernandes

    Eu trabalho com mangalitza na Hungria, neste caso ...

  • João Faria

    Há uns tempos deparei-me com uma imagem do marmore...

  • Bruno

    Interessante - moro em Londres e não conhecia o Ta...

  • Duartecalf

    Mais uma boa notícia. É sinal de que a nossa gastr...

  • André

    Já para não falar no efeito pernicioso que esta "g...