Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




À Mesa em Mação - Carta Gastronómica

por Paulina Mata, em 29.07.12

Em casa da minha Avó, em dias de matança de porcos,  fazia-se um prato de miolos que eu adorava. Levava os miolos, pão, ovos, lombetes  e rins. Faz parte das minhas memórias gastronómicas mais importantes e lembro-me muito bem de, com cerca 12 anos, vir a caminho de Lisboa, da fome ter apertado e do meu Pai, quando parou para pôr gasolina em Vila Nova da Barquinha, ter ido buscar uma caixa com este prato, que a minha Avó tinha mandado, para eu comer um pedacinho. Nunca mais me esqueci, tal o prazer que me deu aquele petisco.

Ler a receita no livro “À Mesa em Mação”, fez-me recordar tudo isto e confirmar as impressões que tinha sobre um prato que não como há bem mais de 40 anos.

O livro "À Mesa em Mação - Carta Gastronómica" foi editado, no início deste mês de Julho, pela Câmara Municipal de Mação, com o objectivo de constituir um registo da cultura gastronómica do concelho de Mação, para que esta não se perca e possa permanecer nas mesas das famílias e dos restaurantes do concelho.

 O “À Mesa em Mação – Carta Gastronómica” é um livro atraente, com fotografias bonitas, que fazem crescer água na boca, e que despertam memórias. É também um livro com um conteúdo muito interessante, pois contém um conjunto de receitas que fazem parte do património culinário, pouco conhecido, do concelho de Mação, mas vai muito para além de uma mera recolha de receitas. Começa por relatar aspectos da história da alimentação no concelho de Mação, regista depoimentos de mulheres e homens que partilharam os seus saberes e memórias. Trasmitem-nos os seus pratos do dia-a-dia e das festas,  mas falam também de como se vivia na sua meninice e como tudo evoluiu. Vidas bem duras, relatos que nos fazem pensar. Testemunhos “com cara”,  pois estão ilustrados com as fotografias dos seus autores.

As receitas provêm, na maior parte de um trabalho de recolha feito em 2011, localidade a localidade, casa a casa, e são uma expressão da transmissão oral da cozinha, em que se procurou respeitar o modo de falar e transmitir as receitas de quem colaborou. No final do livro há um glossário muito completo onde nos podemos esclarecer sobre os termos menos comuns. Todas estas receitas estão identificadas com o nome de quem as cedeu. Há também um conjunto de receita que resultaram de uma recolha anteriormente feita por uma professora do concelho, e finalmente outras de um caderno de receitas familiar.

O respeito pela forma como foram transmitidas as várias contribuições, leva a que surjam várias receitas do mesmo prato com pequenas variações, ou que frequentemente as receitas não tenham a quantidade dos ingredientes, mas tudo isto faz sentido tendo em conta as características do livro e é por si só representativo da forma como a cozinha familiar é praticada, de como o conhecimento sobre cozinha foi passando de geração em geração, e de como cada família tinha a sua própria versão de cada receita.

É um livro muito interessante e valioso e que contribui para preservar uma cultura inestimável, que não se pode perder. Mas para mim o livro representa ainda muito mais que isso, pois desperta-me uma variedade de emoções e memórias, já que nasci e passei a minha infância no concelho de Mação e continuo a lá ir todos os anos. Ao folhear o livro encontro pratos e bolos que fazem parte das minhas memórias de sabores, vejo nas fotografias das pessoas que contribuíram algumas caras conhecidas, leio relatos que de alguma forma associo à minha família. É o caso da forma de preparar o presunto para exportação, descrita no livro, que muitas vezes vi  fazer, em que cada um deles era envolvido em papel vegetal, tecido e finalmente uma capa betuminosa, que permitia que fossem exportados para Angola e Moçambique numa época em que não havia os sistemas de frio actuais. Ou referências, em diversos testemunhos, à troca dos presuntos frescos por toucinho, de que muito ouvi falar, e que permitiu que a fábrica fundada pelo meu Avô pudesse ter matéria prima durante muitos anos, enquanto que às famílias o toucinho rendia mais e a troca, frequentemente, envolvia o recebimento de algum dinheiro.

Parabéns à Câmara Municipal de Mação por esta iniciativa e, sobretudo, muito obrigada.

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:57


2 comentários

Sem imagem de perfil

De misscalli a 01.08.2012 às 10:31

Que boa notícia! Sou descendente de gentes de Mação e acho que esse livro vem viver cá para casa, para aguçar as memórias e o dente :-)
Sem imagem de perfil

De nathalie a 12.02.2014 às 11:28

Quero este livro para ter um poucadinho do meu concelho aqui em frança .

Comentar post



Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)
Paulina Mata (convidada especial) Alexandra Forbes (convidada especial)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").


Mesa Marcada no Twitter


Siga-nos no facebook



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Comentários recentes