Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Nunca fui grande apreciador de bebidas brancas, espirituosas, destilados ou outros nomes que queiram chamar a bebidas alcoólicas mais do 20 graus. Até consigo apreciar os aromas e os sabores, mas depois, por mais dupla, tripla ou quarta destilação que tenha, ao terceiro trago, já não consigo tirar prazer. Ainda recentemente ia sendo expulso de um restaurante, em São Paulo, porque não bebi até ao fim uma cachaça caríssima - já para não dizer que se tivesse entrado no jornalismo, há 30 anos, seria corrido à paulada. Mas adiante. 

 Graças a um senhor de saias escocês - embaixador da The Glenlivet - fiquei a saber que diluir whisky com água (ambos de qualidade) não só não era coisa de meninos, como era algo muito recomendável. A água (numa proporção de 1/3, creio) ajuda a diluir e a libertar os aromas do whisky tornando-os mais suaves, o mesmo acontecendo na prova de boca onde eles se prolongam numa agradável sensação por via retro nasal. Claro que este estado de alma (por que é disso que se trata, também, certo?) não se alcança com qualquer whisky. É verdade que já vi o Duarte Calvão delirar com um copo de Jack Daniels, um burbon que normalmente me cheira a tintura de iodo, mas para mim tem de ser um que tenha alcançado, pelo menos, a adolescência (12 anos) - de preferência, de malte e, já agora, Glenlivet, uma vez que foi um senhor de saias da marca que me fez ver a luz (isto dito assim soa estranho, eu sei). Até estou a pensar aderir aos The Glenlivet Guardians, que não é nem uma banda de rockers escoceses, nem uma edição do Guardian patrocinada, mas sim um clube de apreciadores de whisky de malte. Da marca, claro. Por último como não gosto de levar com o 'vapor' do álcool (que é quase tão mau como como levar com o bafo de uma mulher alcoolizada, quando não estamos nesse estado - ou vice versa, para não ferir susceptibilidades), guardo a garrafa a 14º/16º e a água que junto é fria.

Eu disse por último?  Hum... falta-me referir que, às vezes, lá para a 3ª ou 4ª rodada, até consigo descortinar um final de boca a marzipan e avelãs frescas, como vem escrito na embalagem. 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:50


9 comentários

Sem imagem de perfil

De lurdes a 19.09.2012 às 11:35

O Jack Daniels não é um burbon... É um Tennessee..
Imagem de perfil

De Miguel Pires a 19.09.2012 às 13:06

Tenessee ' é uma denominação da marca para se posicionar de forma diferente das restantes. No entanto JD é um straight bourbon '. Por outras palavras: um bourbon corrente
Imagem de perfil

De Duarte Calvão a 19.09.2012 às 16:40

Jack Daniels com gelo é das coIsas boas que há na vida. Nem tenho garrafas em casa, senão andava em estado permanente de embriaguez.
Sem imagem de perfil

De lurdes a 19.09.2012 às 16:48

Continuo a não concordar... O Jack Daniels têm uma filtragem, com carvão denominado "charcoal mellowing" que justifica a diferenciação da denominação.... Tem um método diferente!

Cumprimentos,
Sem imagem de perfil

De Luísa Neto a 19.09.2012 às 18:13

Balvenie!

LN
Sem imagem de perfil

De Joaquim a 19.09.2012 às 22:19

Bushmills 16 anos single malt
Sem imagem de perfil

De Bruno RF a 20.09.2012 às 11:38

Apesar de não ser especialista em whiskies (fui lá ter por causa do gin deles), Bruichladdich! Maravilhosos, quer o clássico, quer o peated.
 
Aliás, um dia que volte à Escócia não posso falhar essa ilha mágica que é Islay e as destilarias que por lá existem!
Sem imagem de perfil

De Luís Alvoeiro a 23.09.2012 às 17:15

Ouve lá. Ando a tentar converter o meu circulo de amigos à maneira correcta de beber um bom whisky, claro que com água, há anos. É por não usar saias que não me ligaste nenhuma? É que isso também se arranja. A proporção correcta da água é completamente pessoal visto que funciona como um "tempero", salvo seja. Às primeiras gotas de água qualquer whisky começa por soltar o seu aroma. Conforme deitamos mais água o whisky vai passando por várias fases chegando mesmo a não se sentir practicamente o álcool e a ficar adocicado e muito suave para, umas gotas depois, ficar em curva descendente com um sabor aguado e a perder doce, aroma e sabor. Acho que da próxima que cá vieres a casa já me vais dar atenção.
Abraço.
Imagem de perfil

De Miguel Pires a 26.09.2012 às 01:01

Só se vestires uma saia de xadrez. Dá outra credibilidade. :)

Comentar post



Pub


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

PUB


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mesa Marcada - Os 12 Pratos do Trimestre


Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Setembro 2012

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Comentários recentes

  • Alexandre Silva

    O que está a dar, é o que não está a dar! Fico esp...

  • Jorge Guitian

    Uno más para la agenda de la próxima visita a Lisb...

  • Joao Fernandes

    Eu trabalho com mangalitza na Hungria, neste caso ...

  • João Faria

    Há uns tempos deparei-me com uma imagem do marmore...

  • Bruno

    Interessante - moro em Londres e não conhecia o Ta...