Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Novas propostas gastronómicas do Grupo Lágrimas

por Duarte Calvão, em 11.10.12

Se fosse dado a estes exageros que agora são moda, diria que servem lá “o melhor feijão preto de Lisboa”, mas prefiro apenas recomendar vivamente o menu brasileiro que o Eleven está a praticar ao almoço e que fica por 38 euros, incluindo o “vinho da semana”. O restaurante decidiu fazer agora uma ronda por países cuja cozinha está relacionada com o percurso do chefe Joachim Koerper. Começa pelo Brasil, já que Koerper abriu em Abril, no Rio de Janeiro, o Enotria, seguirá em Novembro por Espanha, onde o chefe alemão trabalhou mais de 15 anos, depois, Alemanha, por motivos óbvios, e Itália, uma cozinha sempre presente entre os profissionais do meio, sendo que Koerper também trabalhou uns tempos na Suíça italiana.
Mas vamos ao tal menu, que começa com uns fabulosos pastéizinhos de carne e de camarão, perfeitos na sua massa quebradiça e seca, seguindo-se uma moqueca de camarão, servida numa pequena cataplana, a qual, na prova que nos foi dada, merecia um picante para a espevitar, acompanhada por delicioso pirão. Vem então o tal feijão, junto com arroz branco, farofa, couve mineira e uma picanha, que foi o que menos apreciei, já que me parece carne destinada a churrascos sem pretensões. Por fim, apesar de geralmente não gostar deste fruto cozinhado, a sobremesa de banana caramelizada com um original gelado da fruta amazónica cumaru estava espectacular. Um menu simples, mas que mostra a maestria de Koerper, exibindo a versatilidade de um grande cozinheiro.
Continuando dentro do “universo” de Grupo Lágrimas, há umas semanas também estive na Cantina da Estrela, que está a renovar a sua ementa com uma homenagem a Fernando Pessoa. Também fui convidado para a apresentação que fizeram e estavam muito agradáveis os pratos da cozinheira Susana Rainha, como os ovos à Senhor Professor, com espargos (não confundir com os célebres ovos à professor, do Belcanto), uma óptima empada de Coelho na Rocha (na foto), referência à vizinha rua de Campo de Ourique onde o poeta morou e onde hoje está a Casa Fernando Pessoa, bife de lombo com molho de dobrada, que parece que era dos favoritos do homenageado e, por fim, arroz doce com linhas de canela, dedicado à amada Ophélia. A Cantina, integrada no Hotel da Estrela e com equipas de alunos da escola de hotelaria contígua, continua a praticar os preços mínimos e máximos (entre 10 e 20 euros ou 12 e 24), deixando aos clientes a tarefa de definir o montante que acha justo pagar dentro deste intervalo.
Finalmente, nãp fui, mas de certeza que será interessante conhecer os novos pratos do Momo, no Casino de Lisboa - não fosse o competente Paulo Morais o chefe consultor de mais esta unidade do Grupo Lágrimas - que também por agora foram apresentados. Depois de terem saído do restaurante Terreiro do Paço, são estas as três unidades que o grupo detém em Lisboa, todas elas diferentes entre si, mas todas a merecer visita.

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:51


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Rui sebastiao a 03.01.2013 às 02:50

Visitei o momo no casino de Lisboa e achei horrivel. A comida mal confecionada e mal apresentada.

Comentar post



Pub


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

PUB


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mesa Marcada - Os 12 Pratos do Trimestre


Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Outubro 2012

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Comentários recentes

  • Alexandre Silva

    O que está a dar, é o que não está a dar! Fico esp...

  • Jorge Guitian

    Uno más para la agenda de la próxima visita a Lisb...

  • Joao Fernandes

    Eu trabalho com mangalitza na Hungria, neste caso ...

  • João Faria

    Há uns tempos deparei-me com uma imagem do marmore...

  • Bruno

    Interessante - moro em Londres e não conhecia o Ta...