Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O bitoque e o bife a lo pobre

por Miguel Pires, em 05.03.13
bitoque (foto: Raquel, tirada daqui)

Várias vezes me perguntaram qual o prato português que mais tenho vontade de comer quando regresso de uma estadia prolongada fora do país. Se não respondi sempre, 'um bitoque', não devo ter falhado por muito. O mais engraçado é que não é um prato da minha infância (embora o bife com batatas fritas seja), nem tão pouco algo que costume fazer em casa. O bitoque é prato de tasca, restaurante simples ou café. Mas porque será que me lembro dele nessas situações? e porque não, por exemplo, de iscas com elas, esse sim, um prato popular a que me atiro desde sempre e sempre que posso? (Talvez um dia, se fizer terapia, encontre a resposta).

 

bife a lo pobre (foto retirada daqui)

Coincidência ou não, há pratos que julgamos nossos e depois acabamos por tropeçar neles em latitudes bem distantes, como no Chile. Troquem a cebola por arroz e retirem um dos ovos estrelados do prato desta foto e ficamos com quê? ora bem, com o nosso bitoque. Os chilenos chamam-lhe 'bife a lo pobre', numa alusão, com um certo humor, ao francês 'steak au poivre' (bife com pimenta). Tal como nós usam uma carne mais barata que uma vez em bife tem de ser amaciada, antes de frita, para ser comestível. Depois é imperial (embora cada vez mais raro) que as batatas em palitos sejam verdadeiras e bem fritas (um ligeiro ranço do óleo, faz parte). Há ainda o ovo estrelado de clara firme mas de gema pronta a fluir assim que pressionamos com o pão. E, por último, no nosso caso, há ainda o arroz, desenformado, normalmente em ponto de chumbo (ou seja: se testarmos soprá-lo deve sair da boca como uma rajada de chumbo de pressão de ar (eu sei que esta pueril arma não dispara rajadas, mas penso que dá para perceber o quero dizer). Ah! a salada com a inevitável cenoura ripada, é mais um adorno que outra coisa e, as azeitonas, apenas se toleram. 

 Nos últimos anos tem-se valorizado bastante o hamburger e o prego (na verdade, mais o primeiro do que o segundo). Será que se deveria fazer o mesmo com o bitoque? ou é assim, entre o simples e o a atirar para o canalha, que o queremos? 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:38


12 comentários

Sem imagem de perfil

De Elmer Fudd a 06.03.2013 às 12:34

"Tal como nós usam uma carne mais barata que uma vez em bife tem de ser sodomizada, antes de frita, para ser comestível."

wtf?
Imagem de perfil

De Miguel Pires a 07.03.2013 às 03:18

Referia-me ao processo de amaciar a carne com um martelo para lhe quebrar as fibras e tornar o bife mais tenro. contudo, dada a conotação hardcore, quando levada à letra, resolvi trocar por 'amaciar'.
Sem imagem de perfil

De Elmer Fudd a 07.03.2013 às 10:12

Não fazia ideia de que esse processo podia ter a denominação de 'sodomização'! Honestamente, pensava que tinha sido um erro qualquer com o corrector.
A partir de agora, sempre que pedir um bitoque vou perguntar se a carne foi sodomizada. Tenho ideia que vai correr bem :).
Imagem de perfil

De Artur Hermenegildo a 07.03.2013 às 10:55

Rendeste-te ao "politicamente correcto"...
Imagem de perfil

De Teresa a 06.03.2013 às 22:06

Bitoque é mesmo um prato de tasca, tal como os pregos nas roulotes e a meu ver não precisam virar 'moda' porque que vão estar sempre lá a fazer as delícias de quem os procura, basta procurar nos sítios certos ;)

E são estas pequenas Grandes coisas tão nossas que nos sabem pela vida!
Sem imagem de perfil

De Mário Robalo a 08.03.2013 às 18:46

Engraçado... Vim à página hoje, depois de alguns dias ausente no sudoeste asiático (Malásia), e dei com este post. Cheguei ontem pela noite, já a desoras, e hoje ao almoço comi um bitoque. Era só mesmo isso que me apetecia!
Imagem de perfil

De Miguel Pires a 09.03.2013 às 03:49

Ainda vamos ter de organizar um"Bitoque em Lisboa" :)
Sem imagem de perfil

De Luisa Neto a 09.03.2013 às 22:08

Miguel, a propósito do post e sem desprimor para o bitoque, dicas para sítios onde se encontrem umas boas iscas? Não é fácil (já para não falar na reacção de desconfiança que o pedido causa normalmente nos demais convivas...)
Imagem de perfil

De Artur Hermenegildo a 11.03.2013 às 12:07

Não tenho o hábit de comer bitoques, devo dizer. Associo-os quase sempre a carne de má qualidade e confecção descuidada. Mais depressa peço um prego (no pão, claro).

Mas nem de propósito, este sábado uma amiga nossa levou-nos a comer um bom bitoque em Queluz, num restaurante de bairro chamado "Polana".

A carne veio mal passada como pedido e era tenra e saborosa, bom molho, e excelentes batatas fritas.
Sem imagem de perfil

De Gil Barbosa a 23.11.2013 às 23:34

Que engraçado é encontrar este post !! Também eu sou fã de bitoques , acabo de chegar do almada forum e não ė que existe um novo conceito EXCELENTE só de bitoques ... Pelos vistos uma chef Portuguesa lembrou-se de fazer bitoques sei lá gourmet ...:) eu comi bitoque com molho de mostarda e tinha umas cebolas caramelizadas e e minha mulher um de café ( que era qualquer coisa)!!!que carne .... Parabéns a dona Justa Nobre e ao bitoque no ponto por terem valorizado um Prato tão português !!!
Sem imagem de perfil

De francisco a 24.11.2013 às 18:51

passo cerca de 75% da minha vida no exterior . e quando chego a portugal......... há tanta coisa , tanta coisa
o bitoque
o café ( ainda não bebi melhor café do que neste pais )
o sumol de laranja
a sandes mista
temos tantas e tantas coisas boas....

Comentar post



PUB


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

PUB


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Março 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Comentários recentes