Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




FachadaOWatt.jpg

 

Talvez a localização mais resguardada o tenha protegido dos holofotes, logo que abriu. “Se quer ser um dos primeiros a jantar n'O Watt, eis que chega, por fim, a oportunidade. Excepcionalmente, esta sexta e sábado, receberemos 75 pessoas em cada uma destas duas noites”, anunciava no passado dia 6 de Julho, o Chef Kiko na sua página do Facebook.

 

 

Os chamados soft openings são fundamentais para afinar a máquina mas a ânsia pela novidade (quer por parte da imprensa, quer por parte do público) é enorme, e por mais que tentem controlar é sempre uma pretensão inútil, que o diga ele e a sua equipa que levaram uma “grande tareia”, segundo as suas próprias palavras, nos primeiros dias do Surf&Turf, no Mercado da Ribeira.

 

Já deu para perceber que O Watt é o tão esperado restaurante de Kiko Martins no novo e moderno edifício da EDP. Porém, ao contrário de todos os outros projectos, que são propriedade do chefe, O Watt (tal como A Cafetaria, instalada na cave deste mesmo edifício) é um restaurante que surge em parceria entre as duas partes. A EDP construiu, desenhou e equipou o espaço. Kiko Martins, coordenou, definiu o conceito, colocou o pessoal (e algum equipamento) e paga uma renda.

 

O Espaço

 

Vasto, bem desenhado e decorado com tons sóbrios, com elegância, um toque retro e sem luxos “bling”, pelo atelier do designer britânico Jasper Morrison, o Watt, é um restaurante acolhedor (sobretudo quando está bem composto) que acomoda tranquilamente mais de uma centena de pessoas. Para já as reservas estão limitadas a 75 pessoas.

salaOWatt.jpg

O conceito

 

Para este espaço, Kiko Martins definiu uma carta cujo conceito anda à volta da sustentabilidade, da energia e de uma cozinha mais saudável, mas sem radicalismos. Por exemplo, não há fritos e a ideia é usar mais gorduras como o azeite, em detrimento da banha ou até mesmo da manteiga. De igual modo, nas sobremesas, está à partida vedada a utilização de açúcar refinado.

 

A carta e o chefe residente

 

Posto, isto e depois de provar uma série de pratos, dá para topar à distância a marca de Kiko Martins. Ou seja, espere-se uma cozinha com criatividade (umas propostas mais originais do que outras), confecções com muitos ingredientes (e aqui incluo temperos) e sabores do mundo. Como acontece nos outros restaurantes, há sempre um prato emblemático das outras casas do chefe bem como diversas ideias já vistas por lá – n’ O Talho, n’A Cevicheria ou n’ O Asiático. Porém, não se trata de baralhar e voltar a dar, como acontece, por exemplo, no seu espaço do Mercado da Ribeira. Não há pretensões a estrelas e afins - o posicionamento em termos de preço é semelhante aos seus outros restaurantes - mas carta parece-me apelativa, quer para um cliente gastronomicamente mais exigente, quer para um público mais preocupado com uma alimentação saudável, que vai além das sementes de chia e do abacate. A proposta também me pareceu congruente com o DNA do chefe e com o conceito que propõe, sem querer puxar muitas bandeiras.

 

oWatt_tomateeburrata.jpg

burrata com tomate bio ( o fruto em várias textura e a sua água) 

 

oWatt_cogumelso.jpg

cogumelos e couve-flor

oWatt_embrulho.jpg

camarão indiano em folha de bananeira (e lentilhas)

 oWatt_prato.jpg

espetada de polvo à galega (e cevadinha com os sabores da paella)

oWatt_barraenergetica.jpg

Barra energética d' O Watt (barra de coco, pistacio, tâmaras e gelatina de laranja

oWatt_açaí.jpg

Açaí e gaspacho de frutos vermelhos

FullSizeRender 11.jpg

abacaxi, iogurte e pinhão

 

Nestes primeiros momentos, o próprio Kiko Martins vai andar por lá. Porém, como acontece já há algum tempo, os seus restaurantes estão estruturados com chefias de confiança para não dependerem de si no dia-a-dia, à hora do serviço. Quer isto dizer que depois caberá ao chefe executivo, o austríaco Martin Schreiner (que faz parte da equipa do grupo já há alguns anos), a voz de comando. 

 

Contactos:

 

Edifício Sede EDP, Avenida 24 de Julho, 12 ( Cais do Sodré – Santos), Lisboa . Tel: 21 1369504

 

Horários: Até Setembro - de Segunda a Domingo, ao almoço e Sexta e Sábado ao jantar. A partir de Setembro: Segunda a Domingo, almoços e jantares.

 

Fotos: fachada e interiores, Francisco Rivotti / as dos pratos, Miguel Pires 

 

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:16


4 comentários

Sem imagem de perfil

De JOÃO a 25.07.2017 às 19:11

Boa comida num espaço muito agradavel.
empregados presunçosos que tratam os clientes por "carissimo"

Comentar post



Pub


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

PUB


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mesa Marcada - Os 12 Pratos do Trimestre


Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Julho 2017

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031

Comentários recentes

  • Alexandre Silva

    O que está a dar, é o que não está a dar! Fico esp...

  • Jorge Guitian

    Uno más para la agenda de la próxima visita a Lisb...

  • Joao Fernandes

    Eu trabalho com mangalitza na Hungria, neste caso ...

  • João Faria

    Há uns tempos deparei-me com uma imagem do marmore...

  • Bruno

    Interessante - moro em Londres e não conhecia o Ta...