Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Avillez_E_DiegoMunoz (2).jpg

Chama-se Cantina Peruana o novo projecto de José Avillez, em Lisboa, desta vez associado ao chefe peruano Diego Muñoz (na foto), ex-braço direito de Gastón Acurio, que este domingo se juntou ao português, na apresentação que encerrou o Peixe em Lisboa. 

 

Avillez e Muñoz (não confundir com David Muñoz do Diverxo) conheceram-se em 2007, quando ambos coincidiram no El Bulli, onde o português estagiou, e ficaram amigos desde aí. Muñoz ficou por Espanha até se tornar o número 2 de Gastón Acurio e depois regressou ao Peru, ainda com Gastón, até sair, há 2 anos, para seguir o seu caminho. Abriu um restaurante em Miami, tem projectos para o seu próprio país e chega agora também a Lisboa. Quanto ao português, a história já e conhecida e como se sabe tem andado imparável.

 

A Cantina Peruana surge englobado numa estratégia de preenchimento do imenso espaço do Bairro do Avillez - cujo o Beco foi o último projecto a ganhar forma - e que deriva agora para algo inédito no grupo do chefe português: a associação a um chefe estrangeiro para o desenvolvimento de um tipo de cozinha especifica.

 

As cozinhas latino-americanas são uma tendência dos últimos anos na Europa (sobretudo em Espanha) e, embora não sejam inéditas em Lisboa, Avillez quer elevá-las a outro patamar. Por isso, em vez de ser mais um a fazer ceviches e afins, o chefe do Belcanto quer fazê-lo com quem sabe e com quem respire uma visão contemporânea e de qualidade como a sua. Neste caso o foco vai para o Peru, mas mais à frente poderá ser outro país. México? É provável...

 

Segundo Muñoz, a Cantina Peruana - cuja abertura ainda não é certa, mas tudo aponta que seja para Junho - reunirá as várias cozinhas peruanas, utilizando produtos portugueses, com um menu dividido em 4 áreas: “mar, grelha, wok e doces”. Diego Muñoz prevê vir a Lisboa 4 vezes por ano, acompanhará a preparação e o desenvolvimento inicial de perto e terá na capital portuguesa um cozinheiro seu.

 

Prato_DiegoMunozAvillez.jpg

Ceviche de gambas preparado por Diego Muñoz, este domingo, no Peixe em Lisboa 

 

O leitor pode começar a sentir-se um pouco perdido com a cadência de novidades relacionadas com mudanças, aberturas e fechos de restaurantes. Nós mesmo, às vezes, começamos a ter dificuldades em acompanhar o andamento. Isto mostra, sem dúvida, o período de grande dinamismo em que vivemos no qual o boom do turismo e dos estrangeiros que estão a escolher Lisboa (e não só) para viver.

 

Na sua apresentação no Peixe em Lisboa Avillez quis deixar uma mensagem bem clara, para todos os que se têm mostrado preocupados com a sua dinâmica e possíveis consequências, nomeadamente ao nível da criatividade no Belcanto. Em primeiro lugar, quis mostrar através confecção de vários pratos que a cozinha do Belcanto não está estática e que continuam a evoluir, nomeadamente com variações a partir de propostas já existentes. Em segundo lugar, que a estrutura e o número de restaurantes aumentaram exponencialmente, mas que estão bem organizados como uma boa empresa moderna (com objectivos, estruturas, funções e metodologias bem definidas, por exemplo). Em terceiro lugar, Avillez afirma que quer continuar a divertir-se e que apesar do Belcanto ser o restaurante tipo de cozinha a que se sente mais ligado, dá-lhe igualmente um grande gozo outras áreas do negócio, como a hospitalidade ou o lado mais do espectáculo (vide exemplo do Beco). São muitos os projectos mas todos têm “um fio condutor”, afirma, e que embora tenha noção dos riscos associados, “eles são assumidos”. É caso para dizer. E que novidade apresentará na próxima semana? 

 

Posts Relacionados: 

Menu de Interrogação - 10 Perguntas a José Avillez

Avillez no Hangar7, na Áustria, até final de Abril

 

 

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:55


15 comentários

Sem imagem de perfil

De Ricardo Tavares a 10.04.2017 às 04:32

Incrivel o imperio que esta a criar, cada vez mais,

Se ate ha alguns meses tinha o sonho de ir ao Belcanto por causa do chef agora cada vez menos o tenho...

O Belcanto esta-se a tornar cada vez mais o projecto do sub-chefe, o que para este `e incrivel (quando abrir um espaco seu ganhara uma estrela) mas para quem como eu idealiza uma ida ao Belcanto esta-se a tornar cada vez menos.

Irrita-me o dar nome a um restaurante e depois nao estar la o seu chef....

E assim Miguel Lafand perdeu a Estrela no L'And

Mas grandes projectos para Lisboa
Sem imagem de perfil

De Cozinheiro a 11.04.2017 às 23:58

O David Jesus é o chefe residente e sócio do Belcanto desde o primeiro dia.
Comentário infeliz.
Sem imagem de perfil

De Ricardo Tavares a 18.04.2017 às 01:42

Exacto, o chefe residente, mas o numero 2, segundo uma serie de posts aqui no MesaMarcada e no Publico.

Mas eu abordava a questao do head-chef, Jose Avillez estar em varios outros projectos
Como Jamie Oliver vir a abrir um restaurante no Principe Real mas ca vir 1 vez por ano provavelmente....

Se calhar sou old school e goste de restaurantes com os Chefs la.

O resultado e o mesmo mas o sentimento nao

Peco desculpa pelo "comentario infeliz"....

Comentar post



PUB


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Pub


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Abril 2017

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Comentários recentes

  • Miguel Pires

    Espero que seja o segundo caso. Seria um desperdíc...

  • Miguel Pires

    Sim, podia ter mencionado o Ferrugem, o Mesa de Le...

  • Miguel Pires

    Pois, também não sei. Sempre que fui lá (e fui vár...

  • Miguel Pires

    Não foram os primeiros, nem serão os últimos. Faz ...

  • Ana Dias

    Porque nao mencionou o Ferrugem?O Miguel consegue ...