Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




unknown.jpg_3

Terminou esta quarta-feira em San Sebastian, Espanha, o Gastronomika 2015, um dos principais congressos mundiais de gastronomia. Submetido ao tema "Explosão Oriental - Singapura e Hong Kong", o SSG15 teve, como habitualmente, a participação dos principais chefes bascos e espanhóis, reservando ainda espaço para a apresentação de dois cozinheiros que, segundo a organização, atravessam o seu melhor momento e que dão cada vez mais nas vistas a nível europeu. Foram eles Vladimir Mukhin, do restaurante White Rabbit, em Moscovo (actual 23º do W50Best) e José Avillez, que se apresentou em "prime time" perante um auditório muito bem composto.

 


Com a preciosa ajuda de David Jesus e Inês Pina, Avillez apresentou 5 pratos de  identidade lusa, da actual carta do Belcanto, demonstrando que a tendência portuguesa, que sempre foi forte na sua cozinha, é, no momento actual,  completamente dominante, sendo cada vez mais ténue a influência espanhola. 


A reflexão mais aprofundada sobre o que se passou nestes dias sairá primeiro numa nas próximas edições da Fugas, do jornal Público. Para já deixo aqui 3 imagens/notas que publiquei no Instagram (com extensão ao Facebook), para quem não segue as redes sociais. 

unknown.jpg_2
Ok, é difícil ser objectivo nestes momentos, mas, de facto, ver alguém fazer uma apresentação exemplar sobre a sua cozinha e a cozinha portuguesa, numa língua que nao é a sua (mas a que se adaptou tão bem) é um luxo. Avillez esteve igual a si próprio: um comunicador exímio que enquadra, explica e conduz, com a mesma inteligência com que cria um conceito, uma identidade ou um prato. Well done Sr. @joseavillez (e Sr @davidrdjesus) 👊🏼⚡️#Gastronomika15 #SSG15 #restauranteBelcanto  #2michelinstar #w50best #Lisboa

unknown.jpg_1
Tal como no Instagram, nos congressos de gastronomia todos mostram o sucesso e o que de bom se faz nos restaurantes. Claro, a menos que se trate de Albert Adrià, que não receia expor os seus medos e fracassos. 

Foi o que fez ontem na sua muito aplaudida apresentação no #Gastronomika15, onde falou do mega ambicioso projecto Heart, que montou este Verão, em Ibiza, com o Cirque du Soleil (e o seu irmão Ferran), e que deu bastantes dores de cabeça.

Poderia ter-se limitado a mostrar pratos mirabolantes e loiras platinadas de lábios insuflados a bambolear-se de champanhe na mão, mas não. "Os congressos também servem para isso", disse. Para expor fantasmas.  #SSG15

unknown.jpg
Cinco boas razões para vir a San Sebastian, ao Gastronomika: 1 - Comer tarta de queso do #LaViña (a prova que Deus existe e que não tem aversão a lactose). 2 - ouvir Andoni Aduriz falar. 3 - participar da elegante orgia anual (com hashtag) do Azurmendi 4 - apanhar uma overdose de jamón ibérico 5 - "ouver" mais meia dúzia de 'ponências' e o Xavier Agulló dizer "es la óstia". Por fim uma razão extra: a possibilidade de praticar portuñol e ouvir o @joseavillez referir que Portugal é próximo de Espanha, mas tem uma cozinha com identidade própria // #SSG15 #Gastronomika15. 

P.S. Ao contrário de anos anteriores em que vi poucas caras portuguesas no Kursaal (o local do congresso) este ano foram vários os profissionais portugueses que marcaram presença - sobretudo cozinheiros, mas também produtores e profissionais da área da comunicação. 

 

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:20



Pub


Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Pub




Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Comentários recentes





Calendário

Outubro 2015

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031