Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




image.jpg

Já não é propriamente novidade que Leonardo Pereira se prepara para assumir o comando de um novo projecto no Hotel Areias do Seixo, próximo de Torres Vedras, após quase 5 anos passados no Noma, em Copenhaga.

Contudo, enquanto o restaurante (ou o projecto) não chega, Leonardo Pereira aceitou o desafio de Ana Músico e Paulo Barata da Amuse Bouche e vai desvendar um pouco do que será a sua cozinha num jantar Origens, a decorrer no próximo dia 30, no Vestigius Wine Bar, em Lisboa.

 


Como é sabido, o Origens é um projecto nascido na edição deste ano do Sangue na Guelra - com o objectivo de dar a conhecer o trabalho de jovens chefes e de os incentivar a pensar "fora da caixa" - e que entretanto foi autonomizado por forma a estender-se ao longo do ano. O pontapé de saída desta nova fase deu-se com João Rodrigues (do Feitoria), cabendo agora, então, a Leonardo Pereira dar-lhe seguimento.

 

Em 2011, quando escrevi sobre a experiência que tive no Noma (na boa companhia de Paulina Mata, Joana Moura e André Magalhães), acabei por fazer um apontamento sobre o Leonardo - que tão bem nos tinha recebido, como é imagem de marca do Noma, e sobre quem René Redzepi me falou de forma elogiosa. Na altura não houve espaço na revista para publicar uma boa parte da nossa troca de palavras e, por isso, recupero agora uma parte dessa informação, que me parece pertinente, tendo em conta o seu regresso ao país.

 

Perguntava-lhe eu, a determinada altura, se pensava regressar a Portugal e que tipo de cozinha gostaria de praticar se tivesse o seu próprio espaço. Estávamos em Março de 2011...


" Não tenho por norma fazer planos a longo prazo, mas gostaria de voltar a Portugal algum dia. O que eu gostaria, e que de certa forma tem vindo a acontecer, lentamente, é que houvesse um despertar da nação, em geral, para uma alimentação mais natural, onde se valorizem produtos, não só portugueses, mas com uma ligação histórica e cultural do nosso país. Gostaria que as pessoas fossem aos mercados em força e que ajudassem as bancas de comida a distanciarem-se das de roupa de feira. Que elevassem e trouxessem os produtos de herança familiar, frutas de árvores com história e que desenvolvessem uma agricultura de forma sustentada. Gostaria ainda que houvesse melhores planos de irrigação, que se premiasse as raças de animais autóctones e que cada região se elevasse e se sentisse orgulhosa da sua tradição gastronómica. Mas, para isso, é preciso mais do que um restaurante ou uma pessoa só...

 

Não sei bem o que lhe dizer quando me pergunta sobre o meu tipo de cozinha preferido, visto não ter estabelecido completamente o meu próprio caminho. Creio que, do ponto de vista de quem dá, tem que ser algo que me fascine, que reflicta a minha própria entrega e paixão pela comida. E, é claro, irá basear-se largamente nas ideias pelas quais tenho passado. Creio que a beleza de comer passa, sobretudo, por não se restringir apenas a um conceito. A própria flexibilidade dos povos, a generosidade da terra e o prazer de comer constituem a espinha dorsal do meu ideal e discordo daqueles que dizem que a comida, ou cozinha de autor, é como a moda. Sim, devia ser sazonal, mas, sobretudo, intemporal."

 

Agora a parte da má notícia que consta no título deste post: quem quiser comprovar os postulados da cozinha de Leonardo Pereira (que, no essencial, parece-me que continuam de acordo com este testemunho de há três anos) vai ter que esperar pela abertura do seu restaurante. É que este jantar especial Origens encontra-se esgotado praticamente desde o momento em que foi anunciado. Já agora deixo um conselho aos que conseguiram mesa: o Origens não é um restaurante, por isso partam de espírito aberto, refreiem as expectativas e pensem no momento como uma experiência, uma amostra de ideias e/ou de um conceito. 

 

Mesa Marcada apoia os projectos Origens e Sangue na Guelra

 

 

. Posts Relacionados:

 

 . Um português no Noma (Leonardo Pereira) e recuerdos de Copenhaga

 . Noma - a cozinha muito especial do ‘melhor restaurante do mundo’ 

 

 

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:14


4 comentários

Sem imagem de perfil

De João Faria a 27.11.2014 às 21:50

Que pena não ter tido conhecimento deste evento mais cedo! Também tive o azar de não me ter cruzado com Leonel Pereira quando visitei o Noma este ano, precisamente porque se encontrava em Portugal para o Sangue na Guelra. Já percebi que terei de esperar pela abertura do seu restaurante...

Vou ficar mais atento aos próximos eventos.
Sem imagem de perfil

De João Faria a 28.11.2014 às 17:41

Enviei de seguida um segundo comentário exactamente igual onde corrigia o nome, Leonardo Pereira. Mas aqui fica a correcção,

Confusão com Leonel Pereira, outro famigerado chef português de bom nome.
Imagem de perfil

De Miguel Pires a 28.11.2014 às 23:41

Peço desculpa, devo ter apagado julgando que estava duplicado. Contudo, nem o Leonardo, nem o Leonel devem ter levado a mal :)
Sem imagem de perfil

De Miguel Rijo a 28.11.2014 às 22:44

Boa Noite,

Acabei de ler o posto e gostaria imenso de obter o endereço de email do Chef Leonardo Pereira. Sou aluno da Escola de Hotelaria e Turismo do Algarve em Faro, estamos a organizar um simposio que irá acontecer em Janeiro e seria fantástico poder ter o Chef Leonardo como orador!

Fico à espera de uma resposta!

Miguel

Comentar post



Pub


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Pub


Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Confira os premiados e as listas...



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Novembro 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Comentários recentes

  • Miguel Pires

    Bem me pareceu que a argumentação era pobrezinha.

  • Adriano

    Isto realmente é irritante. Eu admiro é a paciênci...

  • João Almeida

    Sentiu-se ofendido. Coitadinho..(Não tenho faceboo...

  • Miguel Pires

    O post não é colectivo, está assinado. Entre as de...

  • João Almeida

    Falta a pergunta: quantos pratos pagaram?