Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Guia Michelin França 2015 revelado

por Miguel Pires, em 03.02.15

Michelin_France 2015.jpgMaxime e René Meilleur, o director da Michelin Michael Ellis e Yannick Alleno.

 

Os números do Guia Michelin França 2015 continuam a impressionar: são 609, o total de restaurantes com estrelas Michelin. Destes 503 têm 1* (37 são novos), 80, 2** ( sete novos) e 26, 3***(dois novos - ou mais ou menos, já vemos porquê).

 

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:31

 

Foi dado a conhecer hoje o Guia Michelin das principais cidades da Europa, que reúne cidades que já faziam parte de outros guias e outras que não têm direito a tal tratamento. Entre estas estão as capitais dos países nórdicos, cujas cozinhas se têm destacado nos últimos anos e a quem, segundo consta, a marca francesa de pneus vai finalmente prestar mais atenção com um "Nordic Guide 2015" na forja. 

 

É sabido que o guia vermelho tem mostrado uma maior abertura a restaurantes de perfil mais informal, ou fora dos cânones mais tradicionais de luxo, nomeadamente ao nível das 3 estrelas, cujo o exemplo máximo foi a atribuição deste galardão ao madrileno Diverxo de David Muñoz. Contudo, o guia francês continua a não dar grande troco ao Noma, em Copenhaga (2º da lista do The World's 50 Best Restaurants, depois de vários anos como nº1), que mantém "apenas" as sua duas estrelas, nem ao seus súbditos, como o Amass, do antigo head chef do Noma Matt Orlando, que ficou a ver navios. Contudo a capital dinamarquesa tem 3 novos restaurantes com uma estrela, entre eles o Studio at the Standard, do ex-sócio de Redzepi, Claus Mayer, aberto há apenas 4 meses (os outros dois são o Marchal e o Clou). Mantém-se ainda a tendência de estrelar o centro da Europa, com Viena de Áustria a ter 4 novos restaurantes com o galardão mínimo. Mas à falta de novos 3 estrelas, o grande destaque dado pelo guia vai para as duas estrelas pela primeira vez alcançadas por um restaurante grego, o Funky Gourmet, em Atenas, dos chefes e proprietários locais, Georgianna Hiliadeki e Niki Roussos. 

 

Uma nota adicional, que por lapso me escapou neste post, para dizer que chef Miguel Vieira, que podemos ver actualmente no Masterchef da TVI,  manteve a estrela no restaurante Costes, em Budapeste, na Hungria - cidade que ganhou um novo restaurante com este título, o Borkonyha Winekitchen

 

Posts relacionados:

Há um novo 3 estrelas Michelin em França. Lusodescendente Serge Vieira mantém duas estrelas

L'And e Eleven são os novos restaurantes com uma estrela Michelin em Portugal.

George Mendes mantém estrela Michelin em Nova Iorque

Abriu a caça às estrelas do Guia Michelin

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:59

O Guia Michelin de França saiu há um par de dias e a principal novidade é que há um novo 3 estrelaso Assiette Champenoise de Arnaud Lallement, em Reims, na região de Champanhe. O anúncio da Michelin veio confirmar a noticia avançada uns dias antes, pela revista Le Point - uma fuga de informação tal como acontecera no ano anterior quando anteciparam a noticia de que Arnaud Donckele tinha ganho também a sua terceira estrela no La Vague d'Or, em Saint-Tropez. Nesta edição de 2014, o Assiette Champenoise junta-se assim aos outros 26 restaurantes que já possuíam a distinção máxima, uma lista que só não tem 28 espaços porque o Alain Ducasse au Plaza Athénée está fechado para remodelação. 

 

Ao nível das duas estrelas, confirma-se a presença do restaurante de Serge Vieira (que leva o seu nome), em Chaudes-Aigues, na região de Auvergne (centro-sul de França) como um dos 79 a quem são atribuidos os segundos galardões mais importantes do guia. Neste campo o destaque vai, talvez, para o Akrame, o restaurante parisiense do chef Akrame Benallal (30 anos) - que trabalhou com Ferran Adriá e Pierre Gagnaire -  que tinha ganho a sua primeira estrela logo no seu primeiro ano de funcionamento, em 2012.

 

Em termos de uma estrela, destaco a alcançada pelo Septime, de Bertrand Grébaut, um dos bistronomie mais badalados e difíceis de conseguir mesa em Paris. Esta atribuição confirma a tendência da Michelin na aproximação a um registo mais informal (ou mais "World's 50 Best Restaurants" - onde o Septime ocupa o lugar nº49). É verdade que existem 504 (sim, q-u-i-n-h-e-n-t-o-s e q-u-a-t-r-o) restaurantes em França com uma estrela Michelin. Ainda assim, não deixa de ser um sinal dos novos tempos a presença de um restaurante cool, despretensioso, sem toalhas ou adereços luxo, mas com uma comida com alma, criativa, sazonal e com um menu de 5 pratos por 55€ (ou 3 pratos/28€, ao almoço). Isto em Paris, recordo. Tive a oportunidade de conhecer o Septime este Verão e foi, sem dúvidas, um dos restaurantes de que mais gostei de ter estado no ano passado - quer pelas propostas de Grébaut, quer pelo ambiente. (Sobre ele publicarei aqui a crítica que saiu no penúltimo número da revista Wine).

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:03


PUB



Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub





Calendário

Junho 2017

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Comentários recentes

  • João Faria

    Interessante análise e reflexão. Fiquei curioso em...

  • Adriano

    Miguel não me leves a mal este bocadinho de mau ol...

  • silva

    acho preço bastante caro, a não ser que as garra...

  • Artur Hermenegildo

    Ao que diz o Bloomberg, o Gaggan, nº7, irá fechar ...

  • Duarte Calvão

    É curioso, não tinha noção de que o êxito do Henri...