Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




 

MemmoTerraco.jpg

 Uma cozinha que mostre um pouco dos lugares por onde andaram os portugueses desde a época dos Descobrimentos é o tema geral do que Vasco Lello pretende apresentar no novo hotel Memmo Príncipe Real, que deverá abrir dentro de um mês no bairro lisboeta, com entrada por um arco na R. D. Pedro V e belíssima vista para a cidade (o futuro terraço na imagem acima, em 3D). O nome do restaurante do hotel é precisamente Café Colonial e o chefe, de 36 anos, pretende iniciar nele uma nova fase da sua carreira, que teve como momentos mais marcantes até agora a chefia do Flores, no Hotel Bairro Alto, de onde saiu em finais do ano passado, após quatro anos, e presença na equipa do Pestana Palace, na altura chefiada por Aimé Barroyer, entre 2007 e 2011.

 

 

Foi em Abril deste ano que Vasco Lello começou a dedicar-se a este novo projecto a tempo inteiro. “O tema é muito vasto e dá-me muita liberdade. Não faltam receitas nem produtos para me inspirar”, explicou o chefe do Café Colonial ao Mesa Marcada. De facto, há pratos com influências variadas, mais nítidas as que vêm da Ásia e da América do Sul, sem esquecer algumas bem portuguesas (ver lista no fim). Com uma equipa de 11 elementos, entre os quais o subchefe José Miguel Pereira, que já o acompanha desde o Bairro Alto e o Pestana, ele vai ter um restaurante com 70 lugares, uma parte no terraço ao ar livre, sempre aberto, com pequenos-almoços e pratos ligeiros entre refeições. O espaço aposta ainda na coquetalaria, com um extenso bar no espaço do próprio restaurante.

FotoVL13.jpegO chefe Vasco Lello, aos 36 anos, quer iniciar uma nova fase na sua carreira, depois da passagem pelo Hotel Bairro Alto (Foto: Tiagophotos)

 

Uma das aliciantes para Vasco Lello aceitar o convite foi também o facto de ser um projecto que está a ver nascer, construído de raiz segundo o desenho do arquitecto Samuel Torres de Carvalho, num empreendimento que terá 40 quartos, cujos sócios são o advogado João Corrêa Nunes, os irmãos José Luís e Manuel Carrilho de Almeida, ligados à restauração através do espaço Montes Claros, em Monsanto, e o Mesa do Bairro e ainda Rodrigo Machaz,de uma família bem conhecida do mundo da restauração e hotelaria lisboeta – com pai, tios e primos com presença actual ou antiga em locais tão conhecidos como hotéis Tivoli, Vela Latina, Estufa Real ou XL. O grupo detém também o Memmo Baleeira, em Sagres, e o Memmo Alfama, em Lisboa, cada um com um conceito diferente, que se procura se adaptar às características do local onde se encontra. Aliás, o símbolo do Memmo é , significativamente, um camaleão.

 

Para Rodrigo Machaz, "houve uma sintonia muito grande desde o início com o Vasco Lello, que nos ajudou a consolidar o conceito. Apesar de sermos um hotel de cinco estrelas, queremos criar um restaurante mais informal e acessível, socialmente interessante, de acordo com o ambiente sofisticado e descontraído que achamos que caracteriza a zona do Príncipe Real”.

 

MemmoSala.jpg

 Aqui ficam alguns dos pratos de estreia da lista do Café Colonial (imagem da futura sala, em cima, em 3D) que será renovada periodicamente: Nas entradas: Camarões Café Colonial (salteados com alho, leite de coco e mandioca); Garoupa em Ceviche (sumo de lima, nam plan, chilli e manga); Tempura do Mar (polvo, camarão e caranguejo de casca mole com maionese de kimchi); Asinhas de Frango (molho piri-piri, quiabos e amendoim); Kefta de Borrego (“espetos” de borrego com molho de iogurte e hortelã) e Escabeche do Chefe (perdiz em escabeche tradicional, tostas finas).

 

Nos pratos principais: Robalo com arroz de lingueirão e berbigão (na chapa com arroz carolino de lingueirão e berbigão à “Bulhão Pato”); Black Cod (bacalhau negro em manteiga de miso e chawan mushi de ostras); caril de Mariscos (caranguejo, camarão e mexilhão em mistura de caril caseira); Carolino de Açafrão, vieira e porco bísaro (arroz carolino, açafrão, vieira e barriga de porco bísaro crocante); Wok de massa soba e legumes (legumes salteados com massa soba, tofu e sésamo); Costeletão de novilho maturado (novilho maturado grelhado, palitos de batata-doce e mandioca, feijão de óleo de palma); Tajine de Borrego (borrego assado com ras-el-hanout, cous-cous e legumes assados); Pato Asiático (peito assado com molho hoisin, chow mein de legumes e perna desfiada).

 

Nos doces: Bebinca, ananás e leite de coco (bebinca das sete camadas, gelado de gengibre, coco e ananás); Quindim, maracujá e lima (quindim tradicional com gelado de maracujá e lima); Chocolate de São Tomé, banana e amendoim (chocolate 70%, mousse de banana e praliné salgado de amendoim); Tapioca, chá verde e manga/Taça Café Colonial (tapioca cremosa, chá verde, manga fresca).

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:57



Pub


Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Pub




Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Comentários recentes

  • Artur Hermenegildo

    Estive no Mesa de Lemos na 4ª feira passada, grand...

  • Adriano

    #offtopicEntão é um artigo, sobre a notícia que es...

  • Duartecalf

    Excelente notícia o regresso de Vincent Farges a P...

  • Anónimo

    Em fez de "amuse bouche", porque nao "entretem de ...

  • João Faria

    Quando o anúncio do guia chegar a Portugal - e acr...





Calendário

Setembro 2016

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930