Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




BertilioG_OlhosFech.jpgBertílio Gomes não hesita na resposta: o pior trabalho de que se lembra no início da sua carreira foi limpar lulinhas. Ele estava então na equipa que abriu o Bica do Sapato, em Lisboa, no final dos anos 90, chefiada por Joaquim Figueiredo. “A equipa de preparação era a mesma da produção, por isso, às vezes, entrávamos às 8h da manhã e só saíamos depois da meia-noite. Como as mesas à noite rodavam duas vezes, chegávamos a dar mais de 170 jantares”, recorda o actual chefe do Chapitô à Mesa, também em Lisboa. “Tínhamos uma entrada muito pedida que eram lulinhas de tomatada e elas chegavam todos os dias em caixas de 20 Kg ou 30 Kg. Era um pesadelo. Tinham que ser limpas uma a uma, tínhamos que tirar todos os grãozinhos de areia e algumas eram tão pequenas que nem o dedo mindinho entrava. E o Joaquim Figueiredo não deixava passar nada, era implacável com quem errava”.

 

 

Posts Relacionados:

De Olhos Fechados - Leonel Pereira: "Desossar codornizes, até de olhos vendados!"

De Olhos Fechados - João Rodrigues: "Descascar ervilhas, uma a uma"

De Olhos Fechados - Ricardo Costa: "Já cozi milhares de lavagantes"

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:06


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Brevemente



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Pub



Calendário

Novembro 2018

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Comentários recentes


subscrever feeds