Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Sá Pessoa Michelin.jpg

O chefe Henrique Sá Pessoa está com bons motivos para sorrir. O Alma, no Chiado, em Lisboa, acaba de ganhar uma segunda estrela Michelin, apenas dois anos depois de ter ganho a primeira. Foi o único restaurante português a alcançar duas estrelas no guia Espanha e Portugal 2019, cuja Gala decorre no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa. O Midori, do chefe Pedro Almeida, no hotel da Penha Longa, em Sintra, ganha uma estrela, sendo a primeiro restaurante português de influência oriental a consegui-lo. Grande feito também para o G Pousada, de Óscar Geadas, em Bragança, que conquista a primeira estrela para Trás-os-Montes, e A Cozinha, de António Loureiro, em Guimarães, cidade onde não havia nenhuma. De realçar ainda o chefe Louis Anjos, do Bon Bon, no Carvoeiro, Algarve, que substituiu Rui Silvestre este ano e conseguiu manter a estrela. Aliás, nenhum restaurante português perdeu estrela.  Mas também ainda não foi desta que conseguimos chegar à terceira.

 

Pedro Almeida_foto Visao Pedro Sampayo Ribeiro (1)

Pedro Almeida, chefe do Midori, do hotel Penha Longa

OscarGeadas.jpg

Óscar Geadas, chefe do restaurante G Pousada

Antonio_Loureiro.jpg

António Loureiro, chefe do restaurante A Cozinha.

 

Lista completa dos restaurantes com estrela Michelin em Portugal (por ordem alfabética):

 

2 estrelas (6 restaurantes)

 . Alma - Lisboa (chefe Henrique Sá Pessoa) Novo

. Belcanto - Lisboa (chefe José Avillez)

. Il Gallo d’Oro - Funchal (chefe Benoît Sinthon)

. Ocean - Porches (chefe Hans Neuner)

. The Yeatman - Vila Nova de Gaia (chefe Ricardo Costa)

. Vila Joya – Praia da Galé (chefe Dieter Koschina)

 

 

1 estrela (20 restaurantes)

 . A Cozinha – Guimarães (chefe António Loureiro) Novo

. Antiqvvm - Porto (chefe Vítor Matos)

. Bon Bon – Carvoeiro - (chefe Louis Anjos)

. Casa de Chá da Boa Nova - Leça da Palmeira (chefe Rui Paula)

. Eleven - Lisboa (chefe Joachim Koerper)

. Feitoria - Lisboa (chefe João Rodrigues)

. Fortaleza do Guincho - Cascais (chefe Miguel Rocha Vieira)

. G Pousada – Bragança (chefe Óscar Geadas) Novo

. Gusto by Heinz Beck – Almancil (chefes Heinz Beck e Daniele Pirillo) 

. Henrique Leis - Almancil (chefe Henrique Leis)

. LAB by Sergi Arola - Sintra (chefe Sergi Arola)

. L’ And - Montemor-o-Novo (chefe Miguel Laffan)

. Largo do Paço – Amarante (chefe Tiago Bonito)

. Loco - Lisboa (chefe Alexandre Silva)

. Midori – Sintra (chefe Pedro Almeida) Novo

. Pedro Lemos – Porto (chefe Pedro Lemos)

. São Gabriel - Almancil (chefe Leonel Pereira)

.Vista – Portimão (chefe João Oliveira) 

. William - Funchal (chefes Luís Pestana e Joachim Koerper)

. Willie’s - Vilamoura (chefe Willie Wurger)

 

Posts Relacionados: 

E o que se vai passar mais logo na Gala do Guia Michelin?

. Michelin Portugal 2019: Por aqui, as apostas são elevadas

 

Leia ainda:

Michelin Portugal 2019: perspectivas no local

por Duarte Calvão, em 21.11.18

 

GalaMichelin.jpg

 

Já na Gala Michelin, no lançamento do guia Espanha e Portugal 2019, no Pavilhão Carlos Lopes. Tudo indica que vai ser um ano bom para os restaurantes portugueses, incluindo os de Lisboa, cidade onde a festa decorre pela primeira vez. Mas poderia ser bem melhor. Daqui a pouco saberemos ao certo.

Leia ainda:

publicado às 19:19

PavCarlosLopes_Gala_Guia_Michelin.jpeg

 

É um dos acontecimentos do ano no que diz respeito a assuntos relacionados com a gastronomia, em Portugal, e caso houvesse dúvidas era ver o rodopio destas últimas semanas para conseguir um convite. Refiro-me obviamente ao lançamento do Guia Michelin Espanha e Portugal 2019, que será desvendado hoje à noite, numa gala que decorrerá no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa.

 

Os prognósticos têm sido muitos (e aqui no Mesa Marcada o Duarte Calvão deixou ontem os seus), mas... e o que poderão esperar os cerca de 500 convidados, entre eles os dois autores deste blogue, e todos os que acompanharão de fora o evento?

 

Não tive oportunidade de espionar o recinto, mas calculo que não haverá diferenças gritantes em relação a outras galas em que estive presente no passado, em Espanha. Certamente que a tensão e o nervoso miudinho dos presentes crescerão à medida que se aproximar a hora. Não só das pessoas ligadas aos restaurantes, mas também dos jornalistas e restantes convidados, porque isto das estrelas é como o futebol e ninguém fica em terreno neutro - nem o mais sisudo e pretensamente anónimo dos críticos.

 

A gala terá início pelas 19 horas (mais coisa, menos coisa) com as intervenções da praxe, por parte dos responsáveis ​​pelo guia e entidades oficiais. Certamente que haverá também um vídeo aqui, outro ali, um agradecimento aos patrocinadores e presentes e segue-se para bingo.  

 

Mais tarde, começa então o desfile. Ao contrário de outros eventos que guardam o filet mignon para o fim, as galas do guia vermelho começam logo por desvendar os restaurantes com 3 estrelas. A menos que haja algum tsunami deverão ser apresentados 11 a 15 nomes, se quisermos ser muito optimistas (actualmente há 11 restaurantes com o galardão máximo e todos em Espanha, como é sabido.

 

Depois será a vez dos restaurantes com 2 estrelas. Actualmente são 30 (25 em Espanha e 5 em Portugal) e duvido que passem dos 40. E quando chegarmos aos de uma estrela, vai ser quase fastidioso e sufocante para nós ter de ouvir mais de 160 nomes em espanhol, até chegarmos aos distinguidos em terras lusas.

 

No final será a excitação do costume. Comemora-se, desfazem-se (e disfarçam-se) algumas ilusões e apontam-se as câmaras aos vitoriosos que se desdobrarão entre selfies, fotos colectivas e entrevistas.

 

Apesar da alusão que fiz acima ao futebol não se trata aqui de um Espanha x Portugal. Que não haja ilusões, por melhor que as coisas corram para o nosso país, haverá sempre um número muito maior de lugares distinguidos no país vizinho – mais do que não seja por questões de dimensão.

 

Com o assunto das estrelas arrumado seguir-se-á o momento que se secam as gargantas e se alimentam os estômagos. Para tal haverá bebidas dos patrocinadores, uma gama de vinhos portugueses  e snacks/pequenos pratos preparados pelos restaurantes estrelados da região de Lisboa, a saber: Belcanto, Alma, Loco, Eleven, Fortaleza do Guincho, Feitoria e Lab by Arola. Cada cozinheiro terá um espaço identificado e oferecerá três propostas salgadas e uma sobremesa representativa de sua cozinha.

 

IMG_2BA7DE18A316-1.jpeg

 

Seja para celebrar ou afagar as mágoas, o ambiente será festivo. Já as análises ficarão para depois.

 

Iremos acompanhar a cerimónia de perto e publicaremos os resultados logo que possível. Fiquem por aqui.

 

Posts Relacionados:

Michelin Portugal 2019: Por aqui, as apostas são elevadas

 

Fotos retiradas do Twitter do Guia Michelin Espanha

 

Leia ainda:

publicado às 16:54


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Pesquisar

  Pesquisar no Blog