Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Vítor Adão abre Plano com fogo na Graça

por Duarte Calvão, em 11.08.19

abobora.jpg

Por enquanto, são apenas jantares ao ar livre numa mesa para 18 pessoas, onde vigora um menu de degustação com nove “momentos” e cinco vinhos incluídos (70 euros, no total). Mas a partir de Setembro, o novo restaurante Plano, do chefe Vítor Adão, no bairro lisboeta da Graça, abrirá os seus espaços interiores, com um bar para 14 pessoas, onde o chefe receberá os clientes, uma sala para 20 comensais e ainda uma “cisterna-garrafeira” para grupos de 10 pessoas. É, na verdade, o primeiro restaurante deste jovem chefe, nascido há 29 anos em Chaves, que assim deixa para trás o Izakaya Tokkuri, no Bairro Alto, onde, até ao mês passado, dividia a chefia com Lucas Azevedo (ex-Bonsai), e também a consultoria do produtor biológico Quinta do Arneiro. “Este restaurante é muito importante para mim, quero estar focado nele o mais possível nos próximos anos”, disse Vítor Adão ao Mesa Marcada.

 

 

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:05


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Veja as listas completas aqui



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Agosto 2019

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Comentários recentes

  • Artur Hermenegildo

    Já fui comer o menu de almoço e é de muito boa qua...

  • Paulo Guerra

    E como é óbvio não se vende Lisboa com metade do f...

  • Paulo Guerra

    Apesar de chegar tarde gostava de comentar a temát...

  • Artur Hermenegildo

    Pois, isto tudo concentrado num mês é o diabo para...

  • Anónimo

    Um bom restaurante a carta é curta, quando a carta...