Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




E se forem Prada, pode?

por Miguel Pires, em 03.04.10

 

Insólita irritação, ou publicidade gratuita? A história aparece aqui, no Timesonline, e a surpresa vem do facto de se passar num restaurante de Darwin, conhecida por ser a cidade mais informal da Austrália - cidade onde inclusive os políticos são avessos ao uso de gravata e fato no parlamento local. É verdade que comentários ao artigo como, “há apenas duas coisas para fazer em Darwin, ficar bêbado ou estar a recuperar de uma bebedeira”, não abonam muito a favor da imagem da cidade onde o insólito aconteceu, mas seria noticia se o proprietário do restaurante apenas proibisse o uso dos ditos chinelos em vez dos sobretaxar?

 

 

Moral da história: é melhor ter uns sapatinhos na mala do carro na próxima vez que for ao ‘Allsardine’, a Portimão. Não vá o diabo tecê-las.

Leia ainda:

publicado às 11:52


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Paulina Mata a 03.04.2010 às 14:58

Uma história que se passou com uma amiga minha num país africano de língua oficial portuguesa. Ela e uma amiga iam com uns chinelos de meter o dedo (como sempre os conheci), tentaram entrar num local mais selecto. O porteiro disse que não podiam entrar de chinelos.
Elas fizeram um ar indignado, disseram que não eram chinelos, eram havaianas, a última moda, os sapatos usado pela Angelina Jolie. O porteiro telefonou para um superior, disse que duas senhoras queriam entrar com chinelos, mas que diziam que não eram chinelos, eram havaianas e eram os sapatos que usava a Angelina Jolie, o que é que fazia? O superior disse que as deixasse entrar.

Pode ser que esta técnica pegue também em Darwin...

Comentar post



Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Pesquisar

  Pesquisar no Blog