Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Está tudo bem?

por Miguel Pires, em 29.04.10

 

 

"(...) Não digo ao pessoal o que fazer ou dizer exactamente em todos os cenários, embora tenha alguns ódios de estimação que me irritam particularmente e que jamais quero ouvir nas nossas salas de refeição. Fico arrepiado quando um empregado pergunta: "está tudo bem?" Esta é uma pergunta sem sentido e que receberá uma resposta sem sentido. Também não consigo suportar o uso do "nós" para significar "você", do género: "como é que estamos?". Abomino a pergunta: "ainda está às voltas com o borrego?". Se o cliente tem andado às voltas com o borrego é porque ele não estava suficientemente tenro ou saboroso."

 

Assino por baixo estas palavras de Danny Meyer* transcritas do seu livro, "Negócios à Mesa". Acrescentaria ainda uma que se ouve recorrentemente... "então, continuação", ou simplesmente, "continuação", ou ainda..."uma boa continuação". Normalmente esta expressão aparece após a nossa resposta, "sim, sim, está tudo bem".

 

 

* Danny Meyer é um famoso e bem sucedido empresário da restauração nova-iorquina, cidade onde detém 10 restaurantes. A 'obsessão' pela hospitalidade e a forma como estudou e concebeu ao detalhe todos os espaços que abriu (mais baseado no seu 'feeling', experiência e na observação directa do que em estudos de mercado) constituem uma boa parte do seu sucesso.

Leia ainda:

publicado às 01:27


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Pesquisar

  Pesquisar no Blog