Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Peixe em Lisboa 2011: Abril peixes mil

por Miguel Pires, em 07.04.11

 Onze dias, treze restaurantes em funcionamento permanente, vinte e três chefes de cozinha convidados, mercado gourmet, debates, cursos de cozinha, harmonizações e uma grande caldeirada no final. Vai ser assim o Peixe em Lisboa 2011 entre 7 e 17 de Abril. Este ano de volta ao Terreiro do Paço, no reabilitado Páteo da Galé.

Não chegava proclamar que o peixe português é um dos melhores do mundo. Havia que o mostrar. Havia que o celebrar. E, sendo o evento uma ideia da Associação de Turismo de Lisboa, havia também que puxar a brasa à sua sardinha. Com apenas três edições decorridas o Peixe em Lisboa tornou-se um caso de sucesso. Não se pense em multidões porque, embora eclético, este evento não é propriamente uma extensão dos santos populares. Se tudo correr a preceito espera-se que a fasquia dos 20.000 visitantes seja ultrapassada, até porque o evento estende-se este ano por mais três dias. São vários os motivos que têm atraído um público abrangente. Há quem vá pelos restaurantes e há quem vá pelo mercado gourmet. Alguns não perdem os debates, ou as aulas de cozinha, e outros não querem desbaratar a oportunidade de assistir às apresentações de Chefs de renome. Acompanhe-nos pelo que de mais relevante se irá passar na edição deste ano do Peixe em Lisboa.

 

O local

 

 

 

Depois de dois anos no Parque das Nações, o Peixe em Lisboa regressa este ano ao Terreiro do Paço, onde decorreu a primeira edição. Com uma grande diferença: desta vez vai encontrar o Páteo da Galé, onde a estrutura será montada, e uma parte da zona envolvente (Terreiro do Paço e Cais das Colunas) completamente recuperados.

 

Os Restaurantes presentes

 

Serão treze os restaurantes da Grande Lisboa presentes no evento. Entre eles, quase todos os principais Chefs e fine dinings da região, bem como casas de cariz mais tradicional. Todos os pratos (com excepção da sobremesa) serão confeccionados com peixes e mariscos e de preferência nacionais. Arola Penha Longa (Sintra), Assinatura (Lisboa), Sol e Pesca (Lisboa) – curiosa presença de uma tasca moderna que só trabalha com conservas -, Tasca do Joel (Peniche) e 100 Maneiras (Lisboa), são as novidades deste ano. Vão juntar-se aos repetentes Eleven (Lisboa), Fortaleza do Guincho (Cascais), José Avillez (Lisboa), Manifesto/José Gourmet (Lisboa); Ribamar (Sesimbra) – o único participante desde a primeira edição, Spazio Buondi – Nobre (Lisboa), Umai (Lisboa) e York House (Lisboa). As grandes ausências serão as da Tasca da Esquina de Vítor Sobral (a braços com os preparativos para a abertura da sua nova cervejaria de Campo de Ourique) e do Panorama, de Leonel Pereira, Hotel Sheraton Lisboa. Os restaurante estarão abertos em permanência, das 12h às 24h, e as degustações mantêm os preços do ano passado: 5€ e 8€.

 

Apresentações dos Chefs

 

   

Sergi Arola, Serge Vieira, George Mendes e Nuno Mendes

 

Todos os anos tem havido a intenção de ter um programa de apresentações com a presença dos melhores Chefs a trabalhar em Portugal e, também, de alguns Chefs de renome, vindos do estrangeiro. Entre os primeiros estarão, entre outros: Henrique Mouro, Assinatura, Lisboa; José Avillez, Lisboa (1 estrela michelin); Ljubomir Stanisic, 100 Maneiras, Lisboa; Luis Américo, Mesa, Porto; Paulo Morais, Umai, Lisboa , Pedro Lemos, Pedro Lemos, Porto; Siegfried Danler-Heinemann, Amadeus, (1 estrela) Almancil; Vítor Matos, Casa da Calçada (1 estrela), Amarante; Vítor Sobral, Tasca da Esquina, Lisboa. Será ainda curioso ver o ‘mano a mano’ entre os irmãos Miguel Reino (Aqui há Peixe, Lisboa) e Bernardo Reino (do Gigi, Quinta do Lago, Algarve). Vindos de fora, um português e dois luso descendentes que se destacam actualmente no mundo da alta cozinha. São eles: Nuno Mendes (Viajante, Londres), George Mendes (Aldea, Nova Iorque) e Serge Vieira (Serge Vieira, Chaudes-Aigues, França) – todos eles galardoados recentemente com uma estrela do Guia Michelin. Ainda do estrangeiro estarão o italiano Gennaro Esposito (2 estrelas), o brasileiro André Saburó e o espanhol Sergi Arola (2 estrelas).

 

Mercado Gourmet

 

Outra das atracões habituais é a presença de vários expositores de produtos gourmet, aqui já sem uma ligação especifica ao tema peixe (ainda que uma das presenças mais impressionantes seja a da banca de peixe de Açucena Veloso do Mercado 31 de Janeiro, em Lisboa). Nesta área os visitantes poderão provar e adquirir produtos de fumeiro vinhos, azeites e vários tipos de doçaria, entre inúmeros conjunto de iguarias.

 

Debates

 

Acha que uma sardinha ou uma cavala de lata é um produto menor? Um painel especialistas irá debater o tema das conservas de peixe enquanto o Chef Luís Baena preparará uma série de pratos. O objectivo adivinha-se: convencer a audiência de que as conservas são uma opção saudável e económica e que podem ser também uma iguaria tão distinta e rica como outras mais valorizadas. Este debate terá lugar apenas no dia 15 de Abril. Antes esperam-se outros momentos de grande interesse e que certamente despoletarão a curiosidade e alguma polémica à mistura. Referimo-nos ao debate, “Michelin Sem Segredos” no dia 8 de Abril. Fernando Rubiato, director do “Guia Michelin Portugal & Espanha”, explicará os critérios de avaliação dos restaurantes e dará peito às balas do público acerca do mais famoso guia gastronómico do mundo A não perder ainda a “Peixeirada” no dia 11 Abril. Desta vez serão os Chefs a responder às perguntas do público e terão como moderadores (ou será antes, como provocadores?) Luís Antunes e Paulina Mata, ambos responsáveis por fóruns online onde estes temas são habitualmente debatidos de forma mais acérrima (Fórum da Revista de Vinhos e NovaCritica, respectivamente) e, também, por Paulo Amado da revista Inter Magazine.

 

Homenagens, pastéis de nata, jovens Chefs emergentes...

 

Mas haverá mais: no dia 12 de Abril será homenageado o influente jornalista brasileiro, Dias Lopes, um grande divulgador da gastronomia portuguesa no Brasil e, no dia seguinte, o mundo (ok, o país) ficará a saber qual será o melhor pastel de nata de Lisboa (será que é este ano que o público irá assistir ao vivo ao enfarte de um membro do júri depois de experimentar uma dúzia de pastéis de nata? E a Cristal vai querer desforrar-se do título perdido para a Suíça, no ano passado?). Haverá ainda espaço para alguns jovens Chefs emergentes mostrarem o que valem (no dia 14 de Abril), harmonizações, provas comentadas, aulas de cozinha e, como garante a organização, “muita animação”.

 

Sugestões: A maior afluência verifica-se habitualmente entre as 21h e as 22h e, também, ao fim de semana, entre as 13h e as 14.30h. Se quiser fazer uma visita mais tranquila antecipe a chegada ao local. De 2.ª a 6.ª feira, das 12h00 às 15h00, uma entrada (que custa 15€) dá direito a duas degustações, de 5€ cada uma, pelo que esta é uma boa opção para uma escapadinha à hora de almoço. (Para mais informações consultar o programa aqui)

 

Texto publicado originalmente nas páginas do Outlook do Diário Económico, em 01 de Abril de 2011

Leia ainda:

publicado às 00:05


2 comentários

Sem imagem de perfil

De anna lins a 07.04.2011 às 23:40

Boa noite Miguel, por mais que adore o Peixe em Lisboa, de 7 a 27 são muitos dias, não sei se eu e o Paulo Morais aguentamos !!! Beijos!
Imagem de perfil

De Miguel Pires a 08.04.2011 às 01:34

Claro que aguentam. Isso e muito mais :)
Obrigado por ter reparado no erro, que entretanto já corrigi. Uma coisa é certa: eu é que não aguentaria mesmo.

mp

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Pesquisar

  Pesquisar no Blog