Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




José Júlio Vintém no Álôin

por Duarte Calvão, em 02.11.11

 

O que lhe aconteceu na noite de dia 31 de Outubro?

Vim a Lisboa e fui jantar ao Ljubomir [Bistro 100 Maneiras, no Chiado]. Quando passei pelo Camões, vi um espectáculo com campas, encenações de mulheres a ser violadas, cabeças partidas…Pensei que estava tudo louco. Quando cheguei ao restaurante, perguntei ao Ljubomir o que era aquilo e ele disse-me que era o Halloween…Aí é que fiquei pasmado com tanta palermice, nunca na vida tinha visto tanta patetice junta.

 

Como é o Dia de Todos os Santos, 1 de Novembro, em Portalegre?

É um pretexto para irmos a casa dos amigos pedir os “santinhos”.

 

O que é isso?

É uma tradição que só se faz naquele dia, até ao meio-dia. Almoçamos com eles, bebemos uns copinhos, provamos os licores caseiros de fruta, que nessa altura se adoçam. A frutas (ginja, cereja, morango, sobretudo) ficam a macerar na aguardente desde a Primavera e agora acrescenta-se o açúcar, a água, cada casa faz à sua maneira.

 

E as crianças também bebem?

As crianças vão pedir os santinhos mesmo a casa de quem não conhecem bem e dão-lhes nozes, broas, rebuçados de ovos caseiros, maçãs, peras, marmelos…Quem não tem, dá uma moeda. A minha mãe tem sempre em casa essas guloseimas nesta época.

 

Portanto, nada de Halloween?

É uma patetice imitada dos americanos. Se for para uma festa numa discoteca ou num bar, ainda vá, agora vamos a um supermercado e está tudo com abóboras com carantonhas e máscaras de bruxas? Qualquer dia, estamos todo a falar em americano…

 

Fotografia de Cristina Gomes, tirada no Centro de Artes Culinárias, no Mercado de Santa Clara, em Lisboa, onde o chefe José Júlio Vintém, do restaurante Tomba Lobos, em Portalegre, fez ontem uma demonstração de cozinha com castanhas, juntamente com Marlene Vieira, sub-chefe do restaurante lisboeta Manifesto.

Leia ainda:

publicado às 17:14


2 comentários

Sem imagem de perfil

De jorge Castro a 03.11.2011 às 00:35

Mais um que perdeu a oportunidade de estar calado, assim não dizia palermices... e estou à vontade que o senhor de certo não vai ler o que escrevo aqui, é que computadores e Internet é coisa de americanos...
Imagem de perfil

De Duarte Calvão a 03.11.2011 às 09:58

Já eu acho que fui muito interessante José Júlio Vintém falar sobre uma tradição portuguesa que ficou ofuscada pela ridícula imitação de uma festa que não é nossa e que a esmagadora maioria dos portugueses só conhece através de filmes e de séries de televisão. E que apresenta uma ostentação de violência que, felizmente, não tem nada a ver com a nossa cultura . Mas, por outro lado, até tem aspectos semelhantes com os nossos "santinhos", com as crianças a andarem de porta em porta a pedir guloseimas. Quanto à sua referência à Internet, dificilmente me ocorreria argumento menos adequado.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Pesquisar

  Pesquisar no Blog