Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A Taberna da Rua das Flores esteve cá em casa

por Duarte Calvão, em 28.03.20

 

Tabernaemcasa.jpg

 

A Taberna da Rua das Flores é seguramente um dos restaurantes onde mais tenho ido em Lisboa nos últimos anos e de onde sempre saio feliz e contente. Geralmente, deixo-me guiar pelas sugestões do taberneiro André Larousse Gastronomique Magalhães que, sabendo que eu sou dado a modernices, me apresenta uma sucessão de pequenos pratos deliciosos, sempre com grande qualidade de produtos, tratados de forma original. Ou seja, ao longo de todos estes anos de frequência, nunca tinha experimentando a vertente mais “tacheira” e tradicional desta Taberna, algo que este período de isolamento social me permitiu.

 

Isto porque André Magalhães não se rendeu às circunstâncias e decidiu partir para a “Taberna em Casa”, com entregas próprias nas zonas circundantes à sua localização no Chiado e através do Uber Eats e da Takeway para mais longe. “Estamos a trabalhar bem, sete dias por semana, entre as 12h e as 23h e revezamos totalmente a equipa de 15 dias em 15 dias, para ter a certeza de que todos estão bem”, contou-me o taberneiro.

 

Pois nesta semana, na terça-feira, encomendei lá seis pastéis de massa tenra, com arroz de grelos, doses individuais de pica-pau e de lulas recheadas com puré de batata, um extra de arroz de alho, e feijoada à transmontana em dose dupla. Custou 43 euros. A entrega chegou pontualmente às 20.30h (está na fotografia em cima) e despachámos logo os pastéis - que vinham quentinhos e perdem com o reaquecimento –-, o arroz de alho e o pica-pau, com o seu óptimo molho e pickles taberneiros de cenoura. As lulas ficaram para o jantar do dia seguinte, com o molho de novo em realce e um puré de batata de se lhe tirar o chapéu. O arroz de grelos ficou muito bem na noite seguinte a acompanhar uns pastéis de bacalhau que tinha no meu congelador e como a feijoada pede almoço de fim de semana só marchou hoje. Julgo que os 43 euros, para duas pessoas, renderam bem.

 

André Magalhães e as suas equipas A e B estão a dar luta com garbo e prometem ir variando de oferta, que pode ser consultada através das redes sociais, sempre com grande aposta na comida de tacho. Para amanhã, domingo, por exemplo, está prometida uma caldeirada de choquinhos com batata doce e ervilhas por 16 euros (2 doses) ou 30 euros (4 doses) e André Magalhães acena com umas tripas à moda do Porto para breve. Para quem quiser variar de temperos,  o taberneiro possibilita ainda o recurso aos três espaços que gere no Martim Moniz, sempre abertos e disponíveis através do Uber Eats e da Glovo: a Taberna Macau, com pratos típicos de lá, o Kamakura, com sanduíches japoneses e donburi, e o Bao Bar, com aquilo que o nome indica.

 

Taberna da Rua das Flores (ou Taberna em Casa):

Tel. 213 479 418

 

Posts Relacionados:

. A cozinha de Vítor Sobral esteve cá em casa

 

Leia ainda:

publicado às 18:11



Patrocínio Mesa Marcada:


Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Patrocinador Mesa Marcada


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Siga-nos no facebook



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Março 2020

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031

Comentários recentes