Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




7Q4B6455.png

Como diz o ditado, não há duas sem três e pelo terceiro ano consecutivo, João Rodrigues volta a vencer o Os 10 Restaurantes e 10 Chefes Preferidos do Mesa Marcada, quer na categoria de Chefes, quer na de restaurantes, com o Feitoria, do Hotel Altis Belém (Lisboa).

 

 

A cerimónia, que terminou há instantes no Four Seasons Ritz Hotel Lisboa, teve ainda outro grande vencedor: António Galapito, que arrecadou os prémios especiais Makro Chefe Revelação do Ano e Estrella Damm Destaque do Anoeste último com o seu restaurante Prado.

 

Já o Prémio Especial Bom Sucesso Mesa Diária foi para a Taberna Sal Grosso, em Lisboa, que já tinha sido um dos mais votados nesta categoria, na edição passada. Por sua vez, o Epur, que marca o regresso de Vincent Farges a Portugal, conquistou O Prémio Especial Graham’s Restaurante Novo do Ano. 

 

Na cerimónia, em que se celebrou também o décimo aniversário dos prémios, fez-se uma retrospectiva da sua evolução ao longo destes anos, ocasião que serviu para consagrar José Avillez atribuindo-lhe o Prémio 10 Anos Mesa Marcada, por ter sido o Chefe que mais vezes venceu nesse período (6 vezes como Chefe e 6 como restaurante – 4 vezes com o Belcanto e 2 com o Tavares).

 

Mas o 10º aniversário deste blogue foi ainda pretexto para instituir o Prémio Cutipol Carreira, para premiar o percurso de um chefe ainda no activo. O vencedor, como já tínhamos anunciado antes, foi Dieter Koschina, do Vila Joya, numa eleição votada por um painel de jurados constituído por 20 chefes que integraram o top 10 e venceram os prémios especiais nos últimos cinco anos. Este mesmo painel, serviu igualmente para eleger O Lugar do Olhar Feliz de Ann e Jean-Paul Brigand, como vencedores do Prémio Maria José Macedo – Produtor / Fornecedor do Ano.

 

Outra novidade desta edição foi a criação do Prémio Especial Delta Chefe de Pastelaria do Ano, cujo vencedor foi Joaquim Sousa, da Ladurée /JNcQuoi. Este galardão foi votado também por um painel específico, neste caso, composto por 27 jurados, todos eles da área de pastelaria.

 

Este prémio, tal como o de produtor/fornecedor do ano, enquadra-se numa intenção pretendemos dar continuidade no futuro, o de premiar – e com isso contribuir para valorizar dignificar – outras áreas da gastronomia e da restauração.

 

Porém, os Prémios do Mesa Marcada não vão desviar o foco de continuar a realizar um ranking dos melhores do ano, ou, como gostamos de chamar, um ranking d’ Os 10 Restaurantes e 10 Chefes Preferidos do Ano. Prova disso foi o empenho que tivemos nesta edição, ao alargar o número de jurados, dando seguimento a uma mais valia que certamente nos é reconhecida: o de sermos os únicos prémios em Portugal que resultam de uma lista alargada e abrangente de pessoas do meio. Este ano foram 208, os membros do júri, entre chefes de cozinha (47%), responsáveis e pessoas com outras funções em restaurantes (13%), jornalistas, bloggers, críticos (20%) e gastrónomos (20%).

 

Confira os resultados abaixo:

 

Rank_MM2018_OK.jpg

 

Analisando os resultados de Os 10 Restaurantes e 10 Chefes Preferidos 2018agora revelados, as grandes novidades no top 10, para além da entrada dos restaurantes Prado e Epur e do chefe António Galapito, foi a subida de dois lugares, do Alma (é agora 4º) e do Euskalduna (6º) e dos seus chefes, Henrique Sá Pessoa e Vasco Coelho Santos, que subiram três e quatro posições, ocupando agora o 3º e 4º lugares, respectivamente. De resto, na lista de restaurantes o pódio mantém-se igual: Feitoria, Ocean e Belcanto, enquanto nos chefes, João Rodrigues e José Avillez, lideram os lugares cimeiros, enquanto Hans Neuner caiu uma posição, para 4º, por troca com Sá Pessoa.

 

Disputa voltou a existir no agora denominado Prémio Especial Bom Sucesso Mesa Diária, com a Taberna Sal Grosso a superar o Prado por apenas dois votos (21 vs. 19). Por sua vez entre os restaurantes que abriram em 2018, o Epur, de Vincent Farges, foi o que se classificou melhor (9º lugar), e por isso ganhou o Prémio Especial Graham’s Restaurante Novo do Ano. Os candidatos mais próximos foram o Ceia, de Pedro Pena Bastos, em 15º, e o Sála, de João Sá, em 24º lugar.

7Q4B6521.jpg

 

Por último, resta-nos agradecer a todos os que estiveram presentes da cerimónia e aos que a tornaram possível: os patrocinadores principais Symington (Porto Graham’s), Estrella Damm e Cutipol, os patrocinadores dos prémios especiais, Makro, Delta Cafés e Arroz Bom Sucesso e ao um parceiro muito especial, o Four Seasons Ritz Hotel Lisboa, que cedeu o espaço e forneceu tudo o que de bom se comeu no evento. Um obrigado ainda à Portfolio Vinhos, pelo champanhe Pol Roger (com que festejámos o 10º aniversário), à designer Cristina Gomes, e à equipa de O Apartamento, que trabalharam afincadamente connosco nesta edição.

 

As listas completas, bem como o painel do júri que participou na votação podem ser consultados, aqui (Restaurantes) aqui (Chefes), aqui (Mesa Diária) e aqui (júri). 

 

 

Leia ainda:

publicado às 21:15


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Pesquisar

  Pesquisar no Blog