Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

GUIA_2019_s.jpg

Em jeito de actualização do post que publiquei aqui há poucas semanas, parece que que, além dos já citados como mais prováveis - Casa de Chá da Boa Nova (segunda estrela), Vistas e Fifty Seconds (primeira estrela) - pelo menos um outro restaurante português receberá uma estrela no Guia Michelin Espanha e Portugal 2020, que será anunciado em Sevilha já na noite desta quarta-feira. E mais não digo. Mas também é possível que haja mais surpresas positivas de última hora.

 

 

Aproveito este ensejo para, pela enésima vez, sublinhar que estes posts que venho escrevendo há vários anos com previsões para as estrelas Michelin NÃO são a minha opinião sobre os restaurantes que merecem ter ou não estrelas, mas sim um tentar adivinhar quais as vão conseguir no entender dos inspectores do guia. Peço portanto que não percam tempo (em comentários, e-mails e até telefonemas)  e não me façam perder tempo a pedirem-me para justificar porque é que determinado restaurante vai ter estrela e outro não; e que até se come melhor não sei em qual; e que não estou a dar atenção às chefes femininas; e que estou a ser injusto com não sei que cidade do País e por aí fora. Não sou inspector Michelin, não tenho nada a ver com o guia, tenho muitas vezes opiniões diferentes das deles, acho que há muitas injustiças.

 

Comecei a fazer estas previsões numa altura em que ninguém em Portugal as fazia e sempre salientei que poderiam estar completamente erradas, nunca quis passar por "profeta Michelin". Agora, há muitos que as fazem em diversos meios e ainda bem, é sinal de que este tipo de restaurantes interessa cada vez mais a um público alargado. Sempre foi uma maneira de me divertir, quase um jogo de adivinhação, mas está a tornar-se numa maçada para mim e numa fonte de crispações, sendo portanto provável que não as volte a publicar no próximo ano.

 

 

Leia ainda:

publicado às 19:54


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.11.2019 às 13:26

Porque não se fala nos Açores?
E o maior problema das pessoas não é saber os restaurantes e hotéis que vêm no guia, ( que continua um valor seguro, diga-se), mas sim no momento oportuno, se valerá a pena meter pneus michelin.
Sem imagem de perfil

De Luís Baptista a 19.11.2019 às 23:59

É a primeira vez que comento e, antes de mais: Parabéns por todos estes anos.

Deixo a minha opinião, não exactamente como uma previsão, mas relativamente ao que seria justo quanto a mim.

Novas:

1) Fifty Seconds ganhar duas. É provável que ganhe só uma, mas se há restaurantes que já ganharam duas após um ano de abertura (Maaemo por exemplo), porque não? A verdade é que se este fosse um duas estrelas seria um bom duas estrelas, estaria na primeira metade da tabela dos duas estrelas em Portugal. E tem, para além de uma cozinha consistente, um espaço absolutamente excepcional, não apenas no contexto nacional.

2 e 3) Vistas e Epur, em igual grau de probabilidade para uma estrela. Ambos têm com um padrão perfeitamente correspondente ao procurado pelo guia. Tive boas experiências nos dois, particularmente no último.

4) Le Monument. É um nome que não tem sido avançado, mas que me parece claramente candidato. Como os anteriores tem um chef estrelado e boa qualidade.

5) Euskalduna. Vem sempre à baila a questão do formato do restaurante, mas por ex o Frantzén, um dos melhores do mundo e três estrelas, tem formato muito similar (embora numa outra escala). Acho que irá ganhar, e mais do que merece.

6) 100 Maneiras. Ainda não me convenceu totalmente (muitos sabores gordos e alguma indefinição) mas perfila-se como um possível vencedor.

7) Ceia. Como nunca estive, vem em último. Mas pelo que vejo, e ouço, parece-me um candidato também.


de 1 para 2:

1) Casa de Chá. Talvez no mais privilegiado espaço nacional (entre tantos) e com o menu de 21 momentos deste ano a estar entre os melhores em Portugal.
2) Feitoria. Não acho que seja o melhor restaurante em Portugal, mas merece duas estrelas.
3) Vista. Não será fácil ganhar, mas merece. Um dos melhores chefs nacionais. Já passaram dois anos desde a primeira.

Três estrelas:

Das três hipóteses, acho que o que merece mais é o Vila Joya, pela enorme consistência ao longo dos anos. Faz 20 anos de duas estrelas este ano e seria justo. Enquanto uns fazem 1 menu por ano este restaurante faz múltiplos, e de enorme qualidade. Este aspecto é bizarramente subvalorizado.
Depois diria o Ocean, e em terceiro lugar o Belcanto. Mas experiência de três estrelas, tenho essencialmente nos dois primeiros.

Há ainda muitas hipóteses, que considerando o padrão, me parecem quase lá.
- Varanda. Tem buffet como entrave, mas não seria o único. O Golden Peacock, na Índia, tem buffet ao almoço também.
- Salão Nobre. Está num espaço luxuoso e sob orientação de Vitor Matos. A experiência não é excepcional, mas é melhor que alguns 1 estrela. Tal como outros restaurantes de menor afluência, como o Narcissus Fernandesii, o serviço está muito muito aquém do exigido.
- Paparico. Renovou a carta, acrescentou por exemplo um menu vegetariano (que não é propriamente bom) e está próximo dos padrões apreciados pelo guia. Tem quanto a mim uma das piores iluminações em Portugal.
- O Arcadas também se renovou e é bastante semelhante, poderia reentrar nas contas.
E mais dois, em que não tive ainda experiências que justifiquem 1 estrela, mas são projectos arrojados e cuja gastronomia é apreciada por outros: Mesa de Lemos e Ferrugem.
E ainda dois japoneses, de formatos muito diferentes, mas com alguma qualidade e padrões não muito distantes dos 1 estrela: o Kanazawa e o Mizu Teppanyaki.

Não posso deixar de dizer que se a referência para uma estrela forem restaurantes como o Willie's, o William ou o Henrique Leis (principalmente o primeiro, que deveria ser caso de estudo), todos os desta longa lista mereceriam ter claramente uma estrela (o Ceia não posso afirmar com certeza, como disse). É um exercício negativo que normalmente não é feito, mas por uma questão de justiça para os novos candidatos, acho que se deve fazer.
Da mesma maneira, o Il Gallo d Oro parece-me estar longe dos outros duas estrelas, embora esteja num espaço formidável.

Quanto a outros recomendados e os Bib Gourmand, dada a dificuldade em identificar padrões, limito-me a deixar bons exemplos, entre os que conheço: Fava Tonka, Prado, Almeja, Arkhe, Mito, Elemento, Essencial, Pedro Limão, Atrevo, Grenache, Taberna Albricoque, Apego, entre outros.

E entre os meus preferidos, por outras excelentes razões, embora muito longe do guia: Senhor Uva, Época e Namban.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.11.2019 às 09:56

O Ceia com a saida do Pedro Pena Bastos para o Ritz é por ora um projeto em stand by.

Comentar post



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Os Preferidos 2018



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Novembro 2019

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Comentários recentes