Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Uma descoberta na Areia

por Duarte Calvão, em 01.07.19

camarao_CD.jpg

 

As surpresas agradáveis por vezes acontecem. E aconteceu que, por indicação de um amigo, fui dar com um pequeno e bem posto restaurante, de apenas 20 lugares, na Areia, bem perto do Guincho, com um chefe sevilhano chamado Javier Mendez, de 38 anos, que já trabalhou com grandes nomes do país vizinho como Paco Pérez (chefiou a Enoteca, no hotel Arts, em Barcelona), Ángel Léon (esteve do departamento de I + D) ou Martín Berasategui, (Lasarte, em Barcelona) e que, juntamente com a sua mulher portuguesa, Vera Rente -  à frente da sala - decidiram abrir o seu primeiro restaurante entre nós. Com apenas um cozinheiro a ajudá-lo, serviu-me um belíssimo almoço, cheio de peixes, mariscos e imaginação, a preços que já não se usam, com entradas e sobremesas a rondar os cinco euros e pratos principais entre os 14 e os 18 euros.

 

 

Na Casa Davolta, assim baptizada, pelo que percebi, em homenagem a um ramo asturiano da família de Javier Mendez, não existe menu degustação e a explicação do motivo agradou-me e deixou-me a pensar. O chefe espanhol disse-me que não considera ter “uma filosofia de cozinha que justifique um menu degustação”. Mas, a pedido, pode servir vários pratos, necessariamente com doses e preços mais reduzidos. Foi por esse caminho que quis seguir, bastando -me para tal ler a lista, que, apesar de pequena (ou por causa disso), tinha muito interesse.

 

O casal mudou-se apenas em Outubro para Portugal e Javier Mendez só conhece por cá o vizinho Sergi Arola, que está no hotel Penha Longa, dos tempos em que trabalhou no hotel Arts, mas parece que já andou a bater às portas certas. Assim, os peixes e mariscos são fornecidos pela Nutrifresco, de Pedro Bastos, e o pão é da Gleba, de Diogo Amorim. Também foi no Arts, onde trabalhou cinco anos, que Vera Rente, formada na Escola de Hotelaria do Estoril, conheceu o chefe com quem viria a casar. Ela é igualmente responsável pela escolha dos vinhos.

 

Mas vamos ao que se comeu. Começou com ostra da Ria Formosa, com maçã verde, sempre agradável, seguindo para um estupendo royal de gamba branca (marisco que “encantou" Mendez) com “ar de Sevilha” (na foto de abertura do post). Ou seja, uma forma aérea e levíssima de puchero, um contundente cozido andaluz, com sabor muito nítido e contrastante com a gamba, quase crua e também ela saborosíssima. Foi o primeiro sinal de que tínhamos cozinheiro.

casal_CD.jpg

Vera Rente e Javier Mendez

 

Mas o prato seguinte não confirmou a boa impressão. Foi mesmo o único que me pareceu falhado em toda a refeição. Talvez se tivesse outro nome a decepção fosse menor, porque o chefe espanhol gostou muito da inclusão de amêijoas na carne de porco à alentejana e decidiu criar um prato chamado “porco à alentejana”, em que o bivalve era mexilhão e os coentros surgiam sob a forma de crepe. Infelizmente, nem o mexilhão me pareceu boa escolha, nem os crepes exibiam o gosto e aroma característico da erva. Além disso, uma cebola demasiado avinagrada também não ajudou.

 

Tudo se recompôs logo a seguir com uns bonitos filetes de sardinha grelhados acompanhados por” manteiga de sardinha” para se barrar na broa de centeio da Gleba, uma ideia simples e boa. Confirmou-se a boa impressão inicial com um “ramen andaluz”, constituído por um caldo de lula, com tártaro de lula e ovo a baixa temperatura, tudo bem feito e bem combinado. E a lula crua não estava pastosa, a pegar-se aos dentes, como se vê tanto por aí. O mar continuou a brilhar, agora numas “azevias à la plancha”, só com azeite e sal. “É como fazemos em Sevilha, onde é um peixe muito popular, e aqui têm muita qualidade”, explicou Javier Mendez. Da Andaluzia fomos para a Catalunha, região onde a caldeirada local dá pelo nome de suquet, com o chefe a aproveitar o caldo para acompanhar um filete de salmonete num ponto muito bom.

frango_CD.jpg

 

Ainda antes das sobremesas, veio um sabor exótico, do tipicamente mexicano molho chilmote, conjugado com frango, acompanhado por gnocchi de milho e crocante pele de frango com sésamo (foto acima). Óptimo prato, o meu preferido juntamente com o royal de gambas. Para acabar, duas sobremesas, uma pannacotta de morangos muito fresca, com o interessante toque de pimenta da Jamaica, e uma combinação de chocolates em diversas texturas, também bastante feliz.

 

Pareceu-me que Javier Mendez, que pretende ir mudando de pratos de acordo com as estações, é um digno representante da vertente de criatividade que tanto aprecio na cozinha espanhola das últimas décadas, não hesitando em utilizar produtos menos “nobres”, que são tratados com enorme cuidado, recorrendo à imaginação para lhes mostrar novas facetas. Tudo isto com um certo gosto pelo risco, não se deixando limitar pela falta de meios humanos ou equipamentos (não tem sequer Roner...) e, neste caso, em mostrar o seu trabalho com humidade e boa disposição num local que, embora muito agradável, não está propriamente nos roteiros deste tipo de cozinha. Acho que este simpático e competente casal merece ser bem recebido por cá.

rest_CD.jpg

 

Casa Davolta

Morada: R. São José, 353, Areia, Cascais

Telefone: 211 604 892

E-mail: restaurante@casadavolta.pt

Fecha ao domingo e segunda-feira

 

Nota: as fotografias são minhas, desculpem

 

 

Leia ainda:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:45


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Siga-nos no facebook


Mesa Marcada no Twitter


Veja as listas completas aqui



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Julho 2019

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Comentários recentes

  • Anónimo

    obrigado joao

  • Anónimo

    Tanta coisa e afinal a montanha pariu um rato. O a...

  • Anónimo

    "Será pelo ordenado, pelos horários? “É um pouco d...

  • Miguel Pires

    Claro que sim, tem toda a razão. É o problema de e...

  • Diogo Sanches Pereira

    Há que enaltecer e destacar as mulheres que têm um...