Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Vitor Adão já cozinha debaixo de telha

por Duarte Calvão, em 17.12.19

Vitor Adao.jpg

 

Depois de ter sido uma das sensações gastronómicas do último Verão lisboeta, com a sua mesa comunitária ao ar livre, o Plano, do chefe Vítor Adão, já abriu os seus espaços interiores adjacentes ao jardim onde estava. Mudou o ambiente, mas a cozinha tem em comum o recurso à grelha na grande maioria dos pratos. “Toda a gente me dizia que eu devia mudar para o carvão, mas eu identifico-me muito mais com a cozinha a lenha e é isso que vou continuar a fazer”, garante ao Mesa Marcada este chefe nascido em Chaves há 29 anos. O restaurante, incorporado no Dona Graça, um alojamento local com nove apartamentos, está dividido em três espaços: um bar com 10 lugares, onde se pode também comer alguma coisa ou só beber um copo, uma sala numa antiga cisterna com 20 lugares e uma outra com mesa comunitária para 14 lugares.

 

 

Lula de anzol com espinafres em noz e nabiças, alho francês em carvão com mão de vaca e gamba rosa são dois exemplos de pratos que estão actualmente a ser servidos no Plano, que, além de uma lista de 12 propostas, tem um menu de nove “momentos” a 60 euros, com a harmonização com bebidas a 40 euros, podendo ser escolhas de vinhos (há mais de 700 exemplares na garrafeira), mas também de cocktails, sumos ou bebidas fermentadas. “Quero ver se mudo frequentemente de pratos, consoante o que consigo. Agora, por exemplo, é época de caça e, além de perdizes, comprei um javali inteiro para servir esta semana. E tenho também uma boa variedade de enchidos”, explica o chefe flaviense, que continua a mandar vir produtos transmontanos, como batatas e cebolas.

 

Vítor Adão acredita que a boa repercussão que teve entre Julho e Outubro o ajudará nesta fase. “Há muita gente que ainda não está habituada a esta localização na Graça, mas tenho tido muitos clientes que vieram no Verão e também de pessoas que vieram por recomendação deles”, diz. Já em Janeiro, o objectivo é começar a fazer pão, croissants, compotas e outros ingredientes que possam integrar um pequeno almoço a entregar em cabazes aos hóspedes, mas que também possam ser utilizados no restaurante. “Quero fazer tudo aquilo que puder ser feito aqui”, conclui.

 

Plano

Rua da Bela Vista à Graça, 128, Lisboa

Reservas: 913 170 487

Restaurante: abre só para jantar, entre as 19h e as 23h. Fecha à segunda-feira

Bar: abre das 17h à 1h

 

 

Leia ainda:

publicado às 13:26


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Pesquisar

  Pesquisar no Blog