Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Vitor_Claro.jpg

 

Foi uma notícia inesperada, tanto mais que há apenas cinco meses ele tinha finalmente renovado restaurante, mas o comunicado ontem enviado não deixa margem para dúvidas. Quem quiser se despedir do Claro, em Paço de Arcos, tem só até domingo para o fazer, porque o chefe Vítor Claro decidiu encerrá-lo e passar a dedicar-se aos vinhos que já produz na zona de Portalegre com as marcas Dominó e Foxtrot, e cuja exportação parece ter aumentado exponencialmente, a ponto de exigir a sua atenção total. E promete novidades nesta área.

 

 

Chega assim ao fim mais uma etapa (esta iniciada em 2012) da atribulada carreira deste talentoso chefe que nunca demorou muito nos locais onde esteve, desde o primeiro e marcante Pica no Chão, na Rua do Século, em Lisboa, passando depois pelo Café LX, no Casino Estoril, Gusto, em Matosinhos (já encerrado), Herdade da Malhadinha, Hotel Albatroz, além de passagens por Londres e pela zona da Batalha, entre outras que não me vêm agora à memória. Para quem, como eu, admira o seu trabalho, fica a esperança de que um dia volte à cozinha, hipótese que felizmente coloca, segundo se lê no comunicado.

 

Leia ainda:

publicado às 16:54


6 comentários

Sem imagem de perfil

De Goncalo Fragoso a 11.11.2016 às 22:54

Então e uma cobertura ao gelinaz?

Comentar post



Os autores

Duarte Calvão (perfil)
Miguel Pires (perfil)

Porquê?

Três autores há vários anos ligados à gastronomia e vinhos criaram este espaço para partilhar com todos os interessados os seus pontos de vista sobre o tema (ver "carta de intenções").

Pesquisar

  Pesquisar no Blog